Notícia

Jornal Regional

Ciesp quer avanço tecnológico integrado em SP

Publicado em 01 maio 2010

O Centro das Industrias do Estado de São Paulo reuniu, nessa semana, centenas de empresários ligados às 43 diretorias regionais, municipais e distritais para definir estratégias que vão nortear os próximos passos da entidade, em sua XXIV Convenção Anual.

Como nos anos anteriores, a idéia foi a de promover a interação entre diretores das diversas regiões do Estado e a Sede, na capital paulista, para analisar questões como representatividade, fortalecimento institucional e planejamento de iniciativas de apoio ao setor industrial.

SP: plataforma de desenvolvimento

A inovação tecnológica foi o destaque neste ano, concentrando os debates da última sexta-feira (30), em um seminário aberto ao público, na parte da manhã. Em um esforço conjunto de suas regionais, o Ciesp mobilizou representantes das secretarias municipais de desenvolvimento para o evento, com a preocupação de induzir o avanço tecnológico de forma integrada no estado. Rio Claro esteve representado pelos diretores do CIESP local e pela Secretária de Desenvolvimento Econômico que participou dos debates sobre a implantação de Parques Tecnológicos.

"Esta Convenção consagra o Ciesp no seu papel de interlocutor do setor produtivo no âmbito regional. Mais do que isso, como indutor do desenvolvimento e agente de transformação", afirma Paulo Skaf, presidente da entidade. "Os parques tecnológicos, por exemplo, são ferramentas que podem desenvolver as empresas regionalmente, e atrair companhias de base tecnológica para áreas estratégicas do estado", ressalta Skaf.

Segundo a Secretaria Estadual de Desenvolvimento, existem 30 iniciativas para implantação de parques tecnológicos. Entre as novidades da Lei Paulista de Inovação (n°. 1049/08), regulamentada em agosto passado, estão os dispositivos que permitem às universidades públicas e à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) investir seus recursos em empresas inovadoras ou outros empreendimentos privados que tenham por finalidade criar ambiente favorável à inovação - como os parques tecnológicos, incubadoras ou arranjos produtivos locais. Essa participação era, até então, vedada pela legislação federal.

O primeiro painel do seminário, "Desafios da Inovação", permitiu a abertura e debates sobre a estratégica das políticas de incentivo ao desenvolvimento tecnológico. Em seguida, uma mesa-redonda moderada pelo jornalista Ricardo Boe-chat abordou as questões-chave como financiamento, desenvolvimento de projetos e acesso às informações por parte das empresas.

Os debates que aconteceram no período da manhã deram subsídios aos trabalhos da tarde de sexta-feira, quando os diretores do Ciesp estiveram reunidos em quatro salas para definir estratégias que vão nortear as próximas ações da entidade da indústria em inovação.