Notícia

Hora do Povo online

Cientistas realizam Marcha contra o obscurantismo neste domingo, na Paulista

Publicado em 02 julho 2019

Professores, estudantes e pesquisadores se mobilizam para realizar manifestações e debates no Dia Nacional da Ciência, que acontece no próximo domingo (7). Atividades já estão marcadas em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal.

Para o presidente da Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência (SBPC) Ildeu de Castro Moreira, os estudantes e professores devem se unir com o restante da sociedade “para registrar nosso protesto e insatisfação com o quadro da ciência e da educação no país”.

“É fundamental contarmos com um número significativo de membros da nossa comunidade participando das atividades do Dia Nacional da Ciência e de outras manifestações em defesa da educação e da ciência e tecnologia”, afirmou o professor do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

“Um país tão rico como o Brasil não pode se dar ao luxo de não investir em ciência. Os cortes anunciados pelo novo governo atingiram o coração da produção de conhecimento no nosso país. As universidades e a pós-graduação. Infelizmente têm o apoio de uma parte da população que está sendo enganada pelas fake news disseminadas desde as eleições do ano passado. Os cientistas vão neste domingo para a Avenida Paulista para mostrar para a população o que realmente está sendo feito nas nossas instituições de pesquisa: ciência de qualidade”, destacou Mariana Moura, do grupo Cientistas Engajados.

Contra o obscurantismo

Em São Paulo, uma feira de ciências com atividades lúdicas e experimentos científicos para todas as idades será montada na avenida Paulista a partir das 10h. A partir das 14h os pesquisadores exporão banners de congressos.

Para as 16h está marcada a “Caminhada contra o obscurantismo”, que também acontecerá na Paulista.

Os atos na capital paulista foram convocados por diversas entidades e grupos de pesquisadores e cientistas. Dentre eles, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência – SBPC; Cientistas Engajados, Academia de Ciências do Estado de São Paulo – ACIESP; Associação Nacional de Pós Graduandos – ANPG; Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo – APQC; Instituto Questão de Ciência – IQc; Associação dos Docentes da Universidade de São Paulo – ADUSP; Associação dos Docentes da Unicamp – ADunicamp; e Associação dos Docentes da UNESP – ADUNESP.

Na carta-convite, os cientistas denunciam a falta de condições para o desenvolvimento de pesquisas no estado.

“A produção de conhecimento e a formação de profissionais qualificados é fundamental para sairmos da crise. Ainda assim, o governo federal congelou o repasse para as universidades, bolsas de pós graduação e projetos de pesquisa. Depois das grandiosas manifestações contra os cortes, em um acordo na Comissão de Orçamento, a oposição no Congresso Nacional conseguiu garantir R$ 1,3 bi para o Ministério da Educação, sendo 330 milhões destinados especificamente para bolsas de pesquisa. Mas continuamos com 42% dos recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações contingenciados, assim como a maior parte do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico”.

“No Estado de São Paulo, a queda na arrecadação reduziu o recurso disponível para a FAPESP, para as Universidades Estaduais e Institutos de Pesquisa”, destacam as entidades.

Segundo o grupo, o governo de João Doria, “ao invés de ampliar o investimento em pesquisa, enviou e conseguiu aprovar na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei de concessão do Jardim Botânico – área fundamental para a pesquisa desenvolvida pelo Instituto de Botânica”.

“Além disso, pretende unificar os institutos de Pesca e o da Aquicultura e transferir o Hospital Vital Brasil, referência internacional no atendimento a pacientes picados por animais peçonhentos, do Instituto Butantã para o Hospital Emílio Ribas”, pontua a nota.

Outros estados

Em Belo Horizonte as atividades estão marcadas para o sábado (6). Atividades que variam desde debates até batalhas de robôs, passando pelo lançamento de livros e apresentações teatrais, acontecerão das 9h até às 16h no Centro de Referência da Juventude, no centro da cidade.

No Rio de Janeiro os pesquisadores se encontrarão na Quinta da Boa Vista, em frente ao Museu Nacional, a partir das 10h, para realizar atividades de divulgação científica. Além disso, também será realizada uma manifestação contra o obscurantismo e os cortes na educação.

No Distrito Federal a atividade em defesa da ciência será feita no dia 10 na Câmara dos Deputados.