Notícia

O Liberal (PA)

Cientistas estudam pessoas que não adoecem

Publicado em 03 abril 2021

Por Da redação

Um casal que vive junto, dorme na mesma cama, e um tem covid-19 e o outro não. Pode isso? Pode, dizem cientistas. Há casos assim na breve história de pouco mais de um ano da doença em humanos.

A dúvida que desafia os médicos, nestes casos, vai além da constatação da existência dessas pessoas. O que os cientistas, que estudam a contaminação por Sars-cov-2, querem saber é como é possível que isso ocorra e por que a pessoa que não se contaminou não apresenta nem anticorpos contra o vírus.

“Queremos saber por que a pessoa não desenvolve anticorpos e como vai se comportar com a vacina”, explica a cientista Mayana Zatz, geneticista da USP, que está envolvida num projeto para tentar elucidar a resistência ao coronavírus. “A pergunta é: será que ao tomarem a vacina essas pessoas vão desenvolver anticorpos ou vão continuar sem os anticorpos?”, questiona a geneticista.

Segundo ela, está sendo criado um grupo de pesquisas para um estudo de pessoas que se enquadram nesses casos. “A pessoa que quiser participar do estudo pode mandar e-mail para nós”, diz a médica, informando o endereço eletrônico – estudocovid@gmail.com – para o contato. A participação é voluntária, esclarece a cientista, que coordena Centro de Pesquisas sobre o genoma humano e doenças genéticas e que integra o Conselho Superior da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).