Notícia

Planeta Universitário

Cientistas dos EUA elogiam FAPESP Week

Publicado em 10 novembro 2011

"A FAPESP Week foi uma experiência empolgante, com interesses e tradições intelectuais diversos reunidos por um interesse conjunto na pesquisa feita no Brasil", disse Scott Desposato, professor do Departamento de Ciência Política da Universidade da Califórnia em San Diego. Desposato foi um dos palestrantes dos Estados Unidos que se reuniram com pesquisadores brasileiros no simpósio internacional FAPESP Week, realizado de 24 a 26 de outubro no Woodrow Wilson Center, em Washington. O evento integrou as comemorações do cinquentenário da FAPESP. Para os cientistas que atuam em instituições norte-americanas, o simpósio foi bem-sucedido ao fazer uma revisão da produção recente da pesquisa de ponta feita no Brasil em 11 áreas do conhecimento e seus desafios para os próximos anos, além de traçar um paralelo com estudos conduzidos nos Estados Unidos nessas áreas.

"A FAPESP Week deixou uma importante impressão em Washington. O fôlego e a profundidade da ciência envolvida e a visão profunda e inerente na estrutura do evento impressionaram a todos", disse Thomas Lovejoy, da Universidade George Mason e do Heinz Center, à Agência FAPESP.

"Foi uma conferência excelente e muito bem organizada", disse Erich Grotewold, diretor do Centro de Ciências em Plantas da Universidade do Estado de Ohio. "Já participei de centenas de encontros e a FAPESP Week foi certamente um dos melhores. Poder fazer parte de discussões em outras áreas além da qual nos especializamos foi maravilhoso. Aprendi muito sobre temas muito importantes sobre os quais nada sabia até então", Don Francis, diretor executivo da Global Solutions for Infectious Diseases.

Daniel Janies, professor da Faculdade de Medicina do Centro Médico da Universidade do Estado de Ohio, destacou a organização do evento e de sua programação como motivo para o sucesso do evento.

"Não é fácil reunir pessoas que representam tantas disciplinas diferentes em um mesmo auditório. Por isso a escolha dos palestrantes da FAPESP Week foi fundamental para o sucesso do evento. Você podia ver nos rostos dos participantes que todos estavam aproveitando imensamente. Estou entusiasmado em continuar a expandir minhas colaborações com pesquisadores brasileiros", afirmou.

Elizabeth Stein, professora de Ciência Política na Universidade de New Orleans, também elogiou o caráter multidisciplinar do simpósio, apesar de ter tido dificuldade de acompanhar algumas das apresentações.

"Aproveitei bastante poder me encontrar com muitos pesquisadores que atuam no Brasil. Acho que o único porém foi a diversidade de áreas incluídas na programação. A oferta de temas foi impressionante, mas resultou que, para mim, foi difícil compreender algumas das palestras por não ter o conhecimento suficiente nessas áreas. Mas, no geral, o simpósio foi um sucesso", disse.

"As sessões técnicas foram desafiadoras, mas elas foram um testemunho do impacto e da importância da FAPESP no avanço da ciência e da tecnologia no Estado de São Paulo. De minha parte, fiquei encantado em ver como os pesquisadores apoiados pela FAPESP em campos do conhecimento como biologia e medicina tem avançado o nosso conhecimento científico", disse Harold Javid, diretor para Programas Regionais da Microsoft Research Connections.

Oportunidades de pesquisa

Valder Arruda, professor da Universidade da Pensilvânia, destacou a chance de poder compartilhar novas abordagens para o desenvolvimento da ciência. "Fiquei muito contente em poder discutir com colegas o potencial do desenvolvimento de abordagens genéticas para o tratamento de doenças que afetam pacientes tanto nos Brasil como nos Estados Unidos e para as quais não há cura", disse.

"Durante o encontro pudemos elencar as principais limitações que precisamos vencer de modo a otimizar o intercâmbio entre pesquisadores dos dois países e a necessidade da adoção de abordagens modernas por parte das agências reguladoras no Brasil de modo a facilitar as trocas de conhecimento e apoiar as aplicações dessas parcerias para o bem da sociedade", afirmou.

Nikos Vasilakis, professor de Patologia da Universidade do Texas, também destacou a "importante oportunidade" de poder se reunir e trocar informações com cientistas brasileiros.

"No geral, a experiência de ter participado da FAPESP Week foi transformativa, uma vez que pude perceber a vastidão de oportunidades disponíveis para colaboração entre os dois países, que podem ser muito benéficas, especialmente para os jovens cientistas", disse.

As apresentações feitas pelos pesquisadores dos Estados Unidos e do Brasil na FAPESP Week, além de notícias e mais informações sobre o evento, estão disponíveis em www.fapesp.br/week.

Agência FAPESP