Notícia

SEGS Portal Nacional de Seguros & Saúde

Cientistas de cinco países, entre eles o Nobel Harald zur Hausen, formam Board Internacional para avaliar as pesquisas do A.C.Camargo

Publicado em 18 março 2012

Por Moura Leite Netto

Iniciativa inédita na ciência brasileira foi anunciada esta semana pelo Hospital A.C.Camargo. Foi criado, o International Board of Science, trazendo nomes como o Nobel de Medicina Harald zur Hausen, da Alemanha; o imunologista português António Coutinho, que dirigiu o Instituto Pasteur de Paris por mais de dez anos; Curtis Harris, diretor do National Cancer Institute e outros expoentes da ciência mundial: Alan Ashworth, Kai Simons e Martin Raff. Conselho, que esteve no A.C.Camargo entre os dias 12 e 14, tem o papel de avaliar as linhas de pesquisa e o andamento da ciência na instituição, responsável por mais de 60% da produção científica em oncologia do país

Ao centro o CEO do A.C.Camargo, Irlau Machado e o patologista, coordenador de Pesquisa e diretor de Ensino, Fernando Soares. Da esquerda para a direita seguem António Coutinho, Martin Raff, Alan Ashworth, Curtis Harris, Harald zur Hausen e Kai Simons. Crédito: Lalo de Almeida (dispomos também em alta resolução)

Seis dos maiores cientistas do mundo na área de oncologia, neurociência e imunologia firmaram endereço nesta semana no Brasil, mais precisamente no Centro Internacional de Pesquisa do Hospital A.C.Camargo (CIPE), em São Paulo. Juntos, eles passam a integrar o International Board of Science da instituição, resultado de uma das últimas iniciativas do cientista Ricardo Brentani, morto no final de novembro. O anúncio foi feito às 10h da última terça, 13, no CIPE. O A.C.Camargo responde por mais de 60% da produção científica em oncologia no país, segundo avaliação da CAPES/MEC.

O International Board é composto pelo virologista alemão Harald zur Hausen, Professor Emérito da Universidade de Heidelberg, Alemanha, Nobel de Medicina que identificou em 1983 a relação do Papilomavírus (HPV) com o câncer (http://www.nobelprize.org/nobel_prizes/medicine/laureates/2008/hausen.html); o imunologista português António Coutinho, que dirigiu o Instituto Pasteur, em Paris, por mais de dez anos e agora comanda o Instituto Gulbenkian de Ciência, de Portugal (http://www.gulbenkian.pt/section6artId36langId1.html); o oncologista norteamericano Curtis Harris, Professor da Georgetown University e do National Cancer Institute (http://ccr.cancer.gov/staff/staff.asp?profileid=5761); o biólogo inglês Alan Ashworth, Professor do Breakthrough Breast Cancer Research Centre (http://www.icr.ac.uk/research/team_leaders/Ashworth_Alan/index.shtml); o biólogo finlandês Kai Simons, do Instituto de Biologia Molecular e Genética do Max-Plank-Institute, em Dresden, na Alemanha, (http://www.mpi-cbg.de/de/research/research-groups/kai-simons/group-leader.html); e o neurocientista canadense Martin Raff, da McGill University, de Montreal, Canadá, e da University College de Londres, Inglaterra (http://www.ucl.ac.uk/lmcb/research-group/martin-raff).

O Board nasce com a proposta de avaliar as linhas de pesquisa em andamento no A.C.Camargo e apontar as diretrizes a serem seguidas. "São importantes nomes da ciência mundial que estão aqui para avalizar os rumos que temos seguido e apontar possíveis novos caminhos importantes a serem seguidos", resumo o patologista Fernando Soares, coordenador de Pesquisa e diretor de Ensino do Hospital.

Segundo o americano Curtis Harris, as pesquisas no hospital têm nível de qualidade internacional e, por isso, despertaram o interesse do grupo. "Existem muitas potencialidades por aqui. Jovens pesquisadores que estão no início de suas carreiras e que logo vão desabrochar". Demonstrando o mesmo entusiasmo, o ganhador do Nobel, Harald zur Hausen, destacou que no A.C.Camargo "há pesquisas de qualidade, especialmente na área genômica. Mas, como em qualquer outro lugar, sempre é possível melhorar".

De acordo com Fernando Soares, um primeiro parecer ao A.C.Camargo será dado nos próximos três meses. "O Board apresentará para nós um relatório forma, trazendo possíveis novas diretrizes a serem implantadas em toda a nossa área de pesquisa. Após isso, agendaremos um novo encontro para os doze meses subsequentes e uma nova avaliação será feita", antecipa.

O Hospital A.C.Camargo é responsável por mais de 60% da pesquisa do câncer no país, de acordo com o MEC/Capes. A cada ano a instituição publica cerca de 200 artigos científicos em revistas de impacto mundial nas áreas de biologia celular e molecular, genética e genômica do câncer.

Alan Ashworth, Professor titular de Biologia Molecular do Institute of Cancer Research (ICR) na Inglaterra e diretor do Breakthrough Breast Cancer Research Centre, lidera pesquisas sobre mapeamento genético com técnicas de sequenciamento em larga escala e identificação de novos mecanismos de resistência às drogas contra o câncer e alvos - biomarcadores - de novas drogas para terapias.

António Amaral Coutinho, criou e dirigiu a Unidade de Imunobiologia do Instituto Pasteur, em Paris. Atualmente dirige o Instituto Gulbenkian de Ciência, em Portugal. É um dos imunologistas mais premiados do mundo, com mais de 450 artigos publicados.

Curtis Harris, Diretor de Carcinogênese e Genética Molecular da Georgetown University e diretor do National Cancer Institute. É referência mundial em pesquisas sobre carcinogênese, alterações do gene p53 e fatores de risco de câncer.

Harald zur Hausen, eleito vencedor do Prêmio Nobel de Medicina de 2008 pela descoberta da relação entre HPV e câncer. Pesquisador do Centro de Pesquisa em Câncer da Heidelberg University, na Alemanha.

Kai Simons, Diretor Emérito do Instituto de Biologia Molecular e Genética do Max-Plank-Institute, na Alemanha, estuda mecanismos que geram alterações que levam a diferentes doenças, dentre elas a doença de Alzheimer.

Martin Raff - Professor Emérito do Laboratório de Biologia Molecular da University College London, do Reino Unido. Neurocientista premiado, Raff é referência internacional em estudos sobre autismo.

Sobre o Hospital A.C.Camargo - Instituição filantrópica criada em 1953 por Antônio e Carmen Prudente, o Hospital A.C.Camargo é um dos maiores centros de tratamento oncológico da América Latina. De forma integrada e multidisciplinar, atua na prevenção, diagnóstico e tratamento ambulatorial e cirúrgico dos mais de 800 tipos de câncer identificados pela Medicina, divididos em mais de 40 especialidades. A cada ano identifica e trata 14 mil novos casos da doença, com pacientes de diversas partes do país e exterior, totalizando mais de 950 mil atendimentos (consultas, exames laboratoriais e por imagem, internações, cirurgias, quimioterapia e radioterapia, entre outros). Seu corpo clínico é composto por uma equipe fechada de 403 médicos especialistas, a maior parte com mestrado e doutorado. A dedicação e interação destes profissionais em atividades interdisciplinares resulta em um tratamento com melhores índices de sucesso, só comparáveis aos observados nos maiores centros oncológicos do mundo.

Na área de ensino, o A.C.Camargo criou a 1ª Residência em Oncologia do país, em 1953, tendo formado em 2010 o seu milésimo residente. É também responsável pela formação de um em cada três oncologistas em atividade no Brasil. Sua pós-graduação, criada em 1997, é a única em um hospital privado reconhecida pelo Ministério da Educação e foi avaliada com nota máxima durante toda essa década pela CAPES, tornando-se assim, entre escolas públicas e privadas, a melhor do país em Oncologia e uma das duas melhores em Medicina. Tem a maior produção científica da área, com mais de mil trabalhos publicados na última década nas principais revistas internacionais de alto impacto. Centralizou em 2000 o Genoma do Câncer no Brasil, financiado pela FAPESP e Instituto Ludwig.

Em 2011, o Hospital foi eleito pela terceira vez uma das melhores empresas para Você trabalhar do Guia Você S/A Exame. Em 2009, o Hospital foi apontado pela edição 500 Melhores Empresas da revista Istoé Dinheiro como uma das melhores em Saúde pelo terceiro ano consecutivo e pela segunda vez consecutiva entre as 10 melhores empresas de serviços médicos do Brasil na Gestão de Pessoas, de acordo com o anuário Valor Carreira.