Notícia

Agronotícias

Cientistas de 21 países discutem soluções para a resistência parasitária

Publicado em 23 setembro 2011

Embrapa


As doenças causadas por parasitas representam os obstáculos mais importantes à produção animal e são responsáveis ​por grandes perdas econômicas em todo o mundo. A seleção de parasitas resistentes e os problemas causados ​por eles devem aumentar se o controle não for otimizado.

Durante duas semanas, a Embrapa Pecuária Sudeste receberá importantes cientistas de 21 países para apresentar e discutir os impactos da pesquisa e o desenvolvimento de novos produtos e técnicas na área de resistência parasitária, no curso "Avanços no Conhecimento de Resistência Parasitária de Hospedeiros Ruminantes e de Parasitas".

O evento, realizado pela Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos, SP), unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e patrocinado pela Fapesp, Illumina e Colégio Brasileiro de Parasitologia Veterinária (CBPV), acontece de 26 de setembro a 7 de outubro e faz parte do programa Escola São Paulo de Ciência Avançada (ESPCA), da Fapesp.

O curso terá 50 participantes entre estudantes e profissionais da área de parasitologia, sendo 27 estrangeiros e 23 brasileiros, que atuam na melhoria do controle de parasitas em animais de produção. Serão apresentados resultados de pesquisa realizados em todo o mundo e disponibilizadas técnicas laboratoriais recentemente desenvolvidas pelos grupos de pesquisa. Haverá cientistas de países como Irã, Índia, Paquistão, Irlanda, Bélgica, Benim, Quênia, Argentina e Peru.

Entre os temas a serem discutidos estão: genômica da resistência do hospedeiro ao parasita; perspectivas futuras de técnicas para validação de alvos, desenvolvimento de vacinas e drogas, e reversão da resistência parasitária em endoparasitas; métodos in vitro para o diagnóstico da resistência a anti-helmínticos e levantamento de novas substâncias bioativas; e perspectivas no controle de ectoparasitas em ruminantes.

Novas estratégias de controle

O consumidor está mais exigente e busca produtos mais seguros e sem resíduos de medicamentos no leite ou na carne. A manutenção da saúde animal usando estratégias de controle de parasitas é um desafio nos sistemas de produção real devido à má utilização das alternativas de gestão disponíveis.

Diante deste cenário, é importante desenvolver e aplicar novas estratégias de controle parasitário na produção de ruminantes. Afinal, trata-se de um mercado de 200 milhões de cabeças no Brasil.

A discussão dos avanços e desafios na área permitirá o estabelecimento de prioridades de pesquisa de forma integrada e participativa.