Notícia

Paraná online

Cientistas brasileiros vão pesquisar degelo

Publicado em 07 janeiro 2007

Agência Fapesp - Uma equipe de cientistas partirá no dia 21 de janeiro para a Península Byers, na Antártica. Será a primeira visita de pesquisadores brasileiros à região de maior degelo da Antártica marítima, onde terão a missão de realizar o mapeamento dos solos gelados, da geomorfologia e dos ecossistemas terrestres. O grupo ficará acampado entre 24 de janeiro e 6 de março na península localizada na Ilha Livingstone. A área não é completamente coberta de geleiras, como a maior parte do continente, mas as temperaturas chegam a 20 graus negativos no verão.

A Antártica é o continente que sofre as maiores alterações climáticas no planeta e 2007 será o Ano Polar Internacional, com a intensificação de estudos para tentar entender como o aquecimento global pode afetar a vida no planeta nos próximos anos. Há seis anos a equipe realiza pesquisas no continente gelado, utilizando a base do Programa Antártico Brasileiro na Baía do Almirantado. Mas, pela primeira vez, os pesquisadores irão até a península onde o ritmo de degelo é mais pronunciado.

"A área é de alto interesse, uma vez que a velocidade de degelo do solo, o chamado permafrost, é um indicador importante do aquecimento global", disse o coordenador da missão, Carlos Ernesto Schaefer, professor do Departamento de Solos da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Segundo Schaefer, como não há uma estação científica na região, a equipe permanecerá acampada durante os 40 dias em local ermo - o navio mais próximo estará a três dias de caminhada. Os únicos estudos na região foram realizados por pesquisadores espanhóis e ingleses, mas nunca foram feitas pesquisas de solos.

Paraná Online — 07/01/2007