Notícia

Metropóles

Cientistas brasileiros encontram coronavírus na gengiva de pacientes

Publicado em 25 março 2021

Por Emerson Garcia

Pela primeira vez, pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) detectaram a presença de coronavírus na gengiva de pacientes que morreram por conta da infecção. Foram feitos testes de RT-PCR e amostras histopatológicas, que confirmaram o vírus. Os achados foram publicados na revista científica Journal of Oral Microbiology.

De acordo com os pesquisadores, a descoberta pode ajudar a explicar por que é possível encontrar coronavírus na saliva de pacientes infectados. A teoria é que o Sars-CoV-2 se replique na cavidade bucal.

“A presença do SARS-CoV-2 no tecido periodontal pode ser um dos fatores que contribuem para a presença desse vírus na saliva de pacientes infectados e demonstra que as origens do novo coronavírus em gotículas salivares não são somente as vias respiratórias”, explica Bruno Fernandes Matuck, um dos coordenadores da pesquisa, à Agência Fapesp.

Também foram testadas amostras das glândulas salivares e de células do trato respiratório superior. As análises mostraram a presença do coronavírus na gengiva de cinco dos sete pacientes estudados.

Segundo os pesquisadores, a presença do vírus na gengiva ajuda a confirmar a hipótese que a periodontite (inflamação do tecido gengival) aumenta o risco de quadro grave de Covid-19. A explicação é que pacientes com a doença tem a liberação de maior secreção do fluido gengival, que faz parte da composição da saliva.

Nos próximos passos do estudo, os cientistas pretendem analisar a carga viral em pessoas com Covid-19 assintomáticas ou com sintomas leves, para avaliar a diferença de casos graves. Agora, o foco está em entender como o vírus se multiplica na cavidade bucal.

“Estamos tentando identificar esses receptores no tecido periodontal, nas papilas gustativas e nas glândulas salivares, para entender como ocorre a entrada do vírus na cavidade oral e verificar se isso tem relação com a perda de paladar, um dos principais sintomas da Covid-19”, diz Matuck.

Fonte: Metrópoles