Notícia

Inovação Tecnológica

Cientistas brasileiros criam vigas curvas para túneis

Publicado em 19 setembro 2006

Por Thiago Romero

Agência FAPESP

Experimentos realizados nos laboratórios da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) deram origem a uma nova viga curva de concreto para o revestimento de túneis. O produto será usado na Linha Amarela do Metrô de São Paulo, que ligará o bairro da Luz, no Centro, ao da Vila Sônia, na Zona Oeste.

O novo produto foi montado com fibras de aço bem mais finas do que as barras, feitas com o mesmo material e utilizadas normalmente nas vigas de concreto pré-moldadas.

"Por ter um diâmetro de apenas 0,75 milímetros as vigas reduzem as chances de que ocorram lascamentos na estrutura dos túneis", disse Newton de Oliveira Júnior, coordenador do projeto, à Agência FAPESP. "A vida útil da obra será maior e também ocorrerá redução nos custos de manutenção."

Outra vantagem apontada pelo pesquisador está relacionada ao desgaste do produto. Segundo Oliveira Júnior, professor do Departamento de Estruturas da FEC, o impacto causado pela corrosão é menor. "Além disso, o processo de produção da fibra de aço é mais eficiente e apresenta os mesmos padrões de segurança do método tradicional", disse.

Os testes realizados pela Unicamp apontaram uma vida útil de cem anos para o novo produto. "Desde 2003 estamos trabalhando nesse projeto, que é inédito no Brasil. Fizemos todos os ensaios de viabilidade, produzimos as peças em tamanho real e já tivemos a aprovação da tecnologia pelo Consórcio Via Amarela", disse Oliveira Júnior.

Durante as obras da Linha Amarela, enquanto a máquina cava o túnel na parte da frente, sua cauda executa automaticamente o revestimento definitivo. "Serão sete peças curvas de concreto que se unem para formar o anel de revestimento, que terá cerca de 8,4 metros de diâmetro", explicou o pesquisador da Unicamp. As novas vigas serão usadas em quase 7 quilômetros do total de 12,8 quilômetros da nova linha do metrô paulistano.