Notícia

Jornal do Commercio (RJ) online

Ciência quântica no computador

Publicado em 10 junho 2005

Inovação

Em três estudos recentes, pesquisadores de Minas Gerais e de São Paulo apresentam contribuições teóricas e experimentais que devem ajudar no desenvolvimento de um tipo especial de computador que povoa a mente dos físicos há três décadas, desde que o químico Charles Bennett, da gigante da informática IBM, demonstrou que era possível usar características das partículas atômicas para processar informações.

É o computador quântico, assim chamado por funcionar segundo as leis da mecânica quântica, área da física que investiga os fenômenos do mundo dos átomos e das moléculas.

O resultado de aplicação prática mais imediata surge do trabalho do físico José Maria Villas-Bôas, ex-aluno de Nelson Studart na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), no interior de São Paulo, que atualmente realiza suas pesquisas de pós-doutorado na Universidade de Ohio, Estados Unidos.

Villas-Bôas descobriu uma solução simples para falhas em um dos sistemas nanoscópicos, de milionésimos de milímetro, mais cotados para integrar o processador desses computadores do futuro: os pontos quânticos, pirâmides ou semi-esferas bilhões de vezes menores que a ponta de uma agulha, criadas sobre materiais semicondutores.

Ainda não se sabe qual será a aparência dos computadores quânticos, mas os físicos acreditam que a principal mudança ocorrerá na estrutura do processador e na forma de lidar com as unidades de informação, os bits. Nos computadores clássicos, os processadores são placas de silício do tamanho de uma moeda, com até 400 milhões de transistores.

Agência Fapesp