Notícia

Jornal Primeira Página

Ciência paulista

Publicado em 17 fevereiro 2019

O Instituto de Biociências da USP abriu caminho para a possibilidade de diminuir a fila de transplante de órgãos no Brasil. Prática conhecida como xenotransplante foi apresentada durante a Fapesp Week London, evento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo que ocorreu nesta semana no Reino Unido. A técnica consiste no transplante de órgãos entre duas espécies diferentes – no caso, o porco e o ser humano. Os órgãos dos suínos são semelhantes aos de humanos, mas seriam rejeitados se fossem transplantados hoje. A ideia é modificá-los para que se tornem compatíveis com o organismo humano, diz a professora Mayana Zatz, responsável pelo estudo.