Notícia

JC e-mail

Ciência de Norte a Sul

Publicado em 20 outubro 2008

Por Thiago Romero

Agência Fapesp

Com calendário alterado pelas eleições municipais, Semana Nacional de Ciência e Tecnologia mobiliza a população em torno de atividades sobre o tema “Evolução e Diversidade”

Em função das eleições municipais, a quinta edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, maior evento de divulgação cientifica do país por englobar atividades em todos os estados brasileiros, teve seu calendário alterado em algumas regiões, embora o período oficial de sua realização ainda seja de 20 a 26 de outubro.

De acordo com o coordenador geral do evento, Ildeu de Castro Moreira, ela já está ocorrendo no Amazonas, onde deverá se encerrar nesta sexta-feira (17/10), enquanto no Piauí as atividades acontecerão na semana seguinte à data oficial. A abertura será feita pelo ministro da Ciência e Tecnologia Sergio Rezende, no dia 20 de outubro, em Brasília.

A iniciativa tem o objetivo de mobilizar a população, em especial crianças e jovens, em torno de atividades de ciência e tecnologia, valorizando a criatividade, a atitude científica e a inovação. O tema central deste ano é “Evolução e Diversidade”.

“O que já chamou a atenção nessa edição é a participação de todos os 62 municípios do Amazonas. Até o momento esse é o único estado que conta com atividades cadastradas em todas as suas cidades”, disse Moreira, diretor do Departamento de Popularização e Difusão de C&T do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), à Agência Fapesp.

Outro exemplo do grande interesse está no Rio Grande do Norte, que terá atividades relacionadas com a semana durante todo o mês de outubro. “Muitas escolas e universidades fecham para abrigar pontos de votação, o que gerou algumas dificuldades. Mas, ao mesmo tempo, as atividades ficaram mais descentralizadas e não tiveram sua qualidade prejudicada”, disse.

A abertura do evento no Amazonas ocorreu na segunda-feira (13/10), na cidade de Tabatinga, que fica na fronteira com a Colômbia e Peru, possibilitando a presença de alunos, cientistas e professores de universidades e institutos desses e outros países vizinhos.

“A participação nessa edição está sendo muito interessante. É a primeira vez que a semana se integra com países vizinhos. Esse trabalho em parceria teve início este ano, mas, a partir do ano que vem, a idéia é que a Semana Nacional seja organizada com base em atividades integradas com outros países”, disse Moreira.

Segundo ele essa integração, no entanto, está mais próxima do que se imagina, levando em conta não apenas o fato de recentemente a Colômbia ter criado uma semana nos moldes da brasileira, mas também pela entrega do Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia 2008, promovido pela Reunião de Ciência e Tecnologia do Mercosul (Recyt), que terá lugar em Brasília no dia 20 de outubro.

O prêmio selecionou os melhores estudos sobre o tema “Biocombustível”, elaborados por estudantes e pesquisadores da Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. “Muitos desses colegas estarão em Brasília para a cerimônia de entrega do prêmio e deverão aproveitar para participar da Semana Nacional”, afirmou.

De descritivo para interativo

Ao fazer uma avaliação das edições anteriores do evento, Moreira aponta para um crescimento quantitativo, em número de atividades e de participantes, e também em qualidade.

“Nas primeiras iniciativas da Semana muitos encontros tinham um caráter mais descritivo, com banners e painéis divulgando pesquisas, principalmente nos eventos em praças públicas. Nos últimos anos esse tipo de encontro aberto ao público passou a ser mais interativo”, afirmou.

“As universidades e instituições de pesquisa têm se conscientizado da importância das atividades criativas, que levem as crianças a experimentar e a valorizar o fazer, o lúdico, a participação e a interação entre os estudantes. O fato de as instituições abrirem suas portas também tem contribuído para essa maior interação, que também é uma forma de elas prestarem contas para a população”, disse.

A quinta edição da Semana Nacional de C&T contabiliza, até o momento, mais de 7,5 mil atividades cadastradas de aproximadamente 590 instituições, espalhadas por cerca de 360 cidades brasileiras. Em 2007, foram realizadas quase 10 mil atividades, em cerca de 400 cidades e com a participação de aproximadamente 1,4 mil instituições de ensino e pesquisa e entidades diversas.

Entre os destaques da semana estão o "Dias de Portas Abertas" em instituições de pesquisa e universidades, festivais e feiras de ciência, concurso para crianças e jovens, oficinas abertas ao público, visita de cientistas a escolas, palestras e discussões públicas, jornadas de iniciação científica, exibição de vídeos científicos e debates nos jornais, rádios e TVs.

Alguns destaques da Semana Nacional de C&T de 2008:

Sudeste

Em cidades em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais as atividades ultrapassarão os muros de instituições de pesquisa, universidades e escolas e se espalharão por tendas e estandes em espaços públicos, como parques, praças, shoppings, estações de metrô e centros culturais.

Como o tema do evento será “Evolução e Diversidade”, no ano em que as teorias de Charles Darwin e Alfred Wallace completam 150 anos, nesses espaços serão debatidos assuntos como a evolução da vida, a seleção natural, a evolução social e a diversidade biológica, ambiental, étnica e cultural.

No Instituto Butantan, na capital paulista, haverá diferentes atividades didático-científicas. No dia 23 de outubro será a vez da palestra “Vamos falar de evolução”, às 9h e às 14h, com Carlos Jared, do Laboratório de Biologia Celular. O Museu Histórico do instituto apresentará, até 31 de outubro, a exposição “O Brasil sob as lentes de Darwin e Wallace”, e o Museu de Microbiologia expõe, até 21 de novembro, a mostra “O mundo invisível dos micróbios: diversidade e arte”.

A marquise do Parque do Ibirapuera abrigará, nos dias 25 e 26 de outubro, uma grande mostra popular de ciências, coordenada pela Estação Ciência da Universidade de São Paulo (USP), que inclui exposições, atividades interativas e apresentações artísticas. Entre os destaques estão o “Projeto Ciência ao Vivo”, com demonstrações portáteis de diversos temas da ciência, e a “Célula Gigante”, uma tenda com interior que simula uma célula humana com todas suas estruturas.

No Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, em Campinas, estará o caminhão itinerante Oficina Desafio da Unicamp, que oferece atividades lúdicas a grupo de estudantes, organizadas pelo Museu Exploratório de Ciências da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Com ferramentas como alicates, serras, lixas, furadeiras, tornos e pequenos motores, eles devem superar desafios científicos e tecnológicos propostos.

Os visitantes do Parque Municipal de Belo Horizonte também encontrarão um cenário diferente por conta do projeto “Ciência no Parque”. No local será montada uma estrutura com cerca de 3 mil metros quadrados, sob forma de túnel, na qual o visitante percorrerá vários ambientes que retratam aspectos da evolução da Terra.

Em Vitória, a 3ª Mostra Capixaba de Ciência e Inovação será aberta no dia 21 de outubro, na Universidade Federal do Espírito Santo, onde será possível visitar estandes com exposições de trabalhos de diversas instituições de ensino e pesquisa do Espírito Santo. Na ocasião ocorrerá ainda o Torneio de Sumô de Robôs, competição de robótica que contará com a participação de estudantes de escolas públicas e particulares da Grande Vitória.

Centro-Oeste

A Secretaria de Ciência e Tecnologia do Mato Grosso promoverá, de 20 e 24 de outubro, no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá, o "Ciência Show", espetáculo que traz um conjunto de atividades ligadas à ciência, cultura e tecnologia. A semana na região contará ainda com exposições de brinquedos e experimentos científicos no "Circuito da Ciência de Mato Grosso", realizado em vários municípios do estado.

No Distrito Federal haverá exposições na Esplanada dos Ministérios, apresentação de teatro e palestra em escolas e a realização de oficinas de ciência promovidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Além da entrega do Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia 2008, na segunda-feira (20/10) também ocorrerá a entrega do 6º Prêmio Destaque do Ano na Iniciação Científica e o lançamento do Prêmio Almirante Álvaro Alberto para a Ciência e Tecnologia, concedido pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e pela Fundação Conrado Wessel.

No Terminal Rodoviario de Goiânia, a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia de Goiás promove a exposição “Evolução e diversidade”, que abrigará a reprodução de uma célula humana em tamanho gigante que pertencente ao Projeto Genoma da USP. Nela o visitante pode entrar em seu interior para conhecer o funcionamento celular e ter acesso a jogos interativos, exibição de vídeos científicos e informações sobre energia eletrostática e eletromagnética.

Sul

Entre os destaques da região está o 18º Seminário de Iniciação Científica da Universidade Federal de Santa Catarina, que ocorrerá nos dias 22 e 23 de outubro, em Florianópolis, quando serão divulgados e avaliados trabalhos de quase 600 estudantes de graduação da instituição.

Pesquisadores da Universidade Regional Integrada, em Erechim (RS), apresentarão uma tecnologia alternativa para a produção de biodiesel em escala de laboratório, a partir de uma unidade de produção construída na universidade com apoio do CNPq. Serão explicados os detalhes da tecnologia e da cadeia de alimentos relacionadas ao biodiesel, com a posterior produção do combustível no local.

No Paraná, os destaques são os espetáculos de teatro e performances do projeto “A ciência em peças”, promovido pelo Museu de Ciência e Tecnologia de Londrina, e “Origens: Do Big Bang à evolução das espécies”, uma serie de palestras organizadas pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, que abordarão assuntos como “Cosmologia”, “Evolução geológica da Terra”, “Formação da Terra”, “Paleontologia” e “Evolução biológica”.

Nordeste

Na Bahia haverá uma série de atividades em Salvador e em municípios como Feira de Santana, Jequié, Juazeiro, Vitória da Conquista e Ilhéus. Entre os principais eventos programados estão teatros científicos, mostra de robótica, exposições e a mostra de filmes do projeto Ver Ciência, além da ampla programação cultural com música e poesia e as mesas redonda que abordarão temas como evolução, astronomia, educação e ciência lúdica.

Os portões da Estação Experimental Lagoa Bonita, do Instituto Nacional do Semi-Árido, em Campina Grande (PB), estarão abertos para receber estudantes, que conhecerão palestras desenvolvidas no instituto. Os alunos também participarão de palestras, conhecerão equipamentos agrícolas, animais nativos e viveiros de mudas e sementes.

Em Fortaleza (CE), ocorrerá o 8º Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa, promovido de 20 a 22 de outubro pela Universidade de Fortaleza, na capital cearense. O evento terá palestras, apresentações e discussões de trabalhos científicos de alunos da instituição.

Na mesma cidade, o Planetário Rubens de Azevedo promoverá o “Noite das Estrelas”, caracterizado por uma série de observações astronômicas destinadas ao público em geral e exposição de astronomia e astronáutica.

Norte

Oficinas, programas interativos, gincanas, peças de teatro e espaços para leitura serão realizados no Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi, em Belém. “Caminhando no reino das plantas: Evolução e diversidades” é o nome da trilha educativa que será realizada no parque de 21 a 31 de outubro, pelo Núcleo de Visitas Orientadas do museu, em parceria com a Universidade Federal do Pará.

A atividade tem o objetivo de orientar crianças e adolescentes para preservação e conservação do meio ambiente e do próprio parque, tendo por base a classificação científica das plantas. A trilha utiliza um grande mural explicativo sobre a evolução das espécies.

Outra atração do Museu Goeldi será a oficina de modelagem “Mão na Massa”, que criará réplicas de animais fossilizados. Na atividade serão abordados temas relacionados à evolução com enfoque amazônico, como, por exemplo, as descobertas arqueológicas e paleontológicas na região.

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), por sua vez, instalou sua “Tenda da Ciência” no Colégio Amazonense Dom Pedro I, na região central de Manaus, para visitação pública dos trabalhos que desenvolve. No local, os visitantes podem conhecer, além dos livros lançados pela Editora Inpa, pesquisas desenvolvidas pela Coordenação de Pesquisa em Silvicultura Tropical do instituto.

A Associação Amigos do Peixe-boi mostrará estudos recentes desenvolvidos com o animal pelo Laboratório de Mamíferos Aquáticos do instituto. O Laboratório de Malária e Dengue do Inpa traz amostras de insetos para explicar aos visitantes a importância de se fazer o controle destes no meio ambiente.

Mais informações: http://semanact.mct.gov.br

(Agência Fapesp, 17/10)