Notícia

Câmara Municipal de São Paulo

Cidade de SP encerra a semana com 13,8 mil mortes e 378,1 mil casos de Covid-19

Publicado em 13 novembro 2020

De acordo com boletim diário desta sexta-feira (13/11) publicado pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo sobre a pandemia do novo coronavírus (causador da Covid-19), a capital paulista contabiliza um total de 13.828 vítimas da Covid-19.

Há, ainda, 378.160 casos confirmados de infecções pelo novo coronavírus e 526.873 casos suspeitos sob monitoramento. Até o momento, 551.782 pessoas receberam alta após passar pelos hospitais de campanha, da rede municipal, contratualizados e pela atenção básica do município.

Segundo a administração municipal, “a exportação de dados do SIVEP Gripe encontra-se indisponível. Assim, utilizou-se o Banco do SIVEP de 12/11/2020 e o banco do e-SUS de 13/11/2020. Os dados referentes ao estado de São Paulo são de 12/11/2020”.

Abaixo, gráfico detalhado sobre os índices da Covid-19 na cidade de São Paulo nesta sexta-feira.

Prefeitura de SP

Em relação ao sistema público de saúde, nesta sexta-feira a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados ao atendimento de pacientes com Covid-19 na Grande São Paulo é de 45,2%.

Já na última quinta-feira (12/11), o índice de isolamento social na cidade de São Paulo foi de 39%. A medida é considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e autoridades sanitárias a principal forma de contenção da pandemia do novo coronavírus.

A aferição do isolamento é feita pelo Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo de São Paulo, que utiliza dados fornecidos por empresas de telefonia para medir o deslocamento da população e a adesão às medidas estabelecidas pela quarentena no Estado.

Mais sobre o coronavírus

De acordo com uma ferramenta on-line de monitoramento, foi registrado aumento no número de casos suspeitos de Covid-19 no Estado de São Paulo. Chamada Info Tracker, a plataforma registrou crescimento de possíveis casos de síndrome respiratória na Grande São Paulo e na capital, enquanto o interior mantém estabilidade e queda.

A ferramenta usa matemática e Inteligência Artificial para projetar o número de contaminados pela Covid-19. Os dados da pandemia começaram a ser analisados em março e hoje são acompanhadas as situações de 92 municípios de São Paulo.

O Info tracker congrega pesquisadores da UNESP (Universidade Estadual Paulista), USP (Universidade de São Paulo), CEPID-CeMEAI (Centro de Ciências Matemáticas aplicadas à Indústria) da USP (Universidade de São Paulo), e conta com o suporte da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Segundo os pesquisadores, a coleta de dados é feita por meio do acesso aos boletins epidemiológicos oficiais divulgados pelas prefeituras de São Paulo. A partir daí, as informações são compiladas, analisadas e disponibilizadas na plataforma. O objetivo é tentar coletar diversos tipos de dados, não só aqueles usualmente disponibilizados pela imprensa. Assim, a plataforma acessa o número de casos descartados, suspeitos e outros dados, como a frequência com que as prefeituras atualizam seus boletins. Dessa forma, há a possível de se tecer várias perspectivas em relação à pandemia.

E um aspecto que chamou a atenção dos pesquisadores foi que, de agosto até o início de novembro, enquanto houve um aumento significativo do número de casos suspeitos na Grande São Paulo, no interior do Estado esse dado foi diminuindo. Em Campinas, por exemplo, no dia 1° de agosto foram registrados 8.500 casos suspeitos e, em 5 de novembro, 4.600 – queda de 44%. Porém, na região Sudeste da Grande São Paulo, houve um crescimento de 75% – tendência se repete em outras sub-regiões.

Outro ponto de destaque é que, na capital paulista, há cerca de meio milhão de casos suspeitos. Segundo análise da plataforma, em geral, para cada caso confirmado, há três descartados, o que indica 25% de probabilidade de confirmação de Covid-19, dependendo da região – quantidade de possíveis casos considerada alarmante pelos pesquisadores responsáveis pela plataforma. Já as internações se estabilizaram desde meados de outubro, quando o melhor cenário seria a diminuição – fato que também liga um sinal de alerta.

Além disso, considerando o número de descartados e confirmados, pode-se estimar a quantidade de testes realizados. Como os casos descartados também registraram queda, isso pode ser um indicativo de que as prefeituras estão fazendo menos testes. Com base nos dados, o temor dos responsáveis pelo Info Tracker é de que o Brasil caminha para uma segunda onda de Covid-19.

Atuação do Município

Desde a última segunda-feira (9/11), o Sesc São Paulo integra oito novas exposições na programação nas unidades 24 de Maio, Consolação, Pinheiros, Santana e Santo Amaro (capital), Guarulhos (região metropolitana de São Paulo) e Piracicaba (interior).

As mostras, com temas variados como arquitetura brasileira, lusofonia, meio ambiente, ciência e saúde e questões do mundo contemporâneo, se unem às outras dez que já estão em cartaz em São Paulo, Santo André, São Caetano, Santos, Sorocaba e Taubaté.

A visitação às exposições é gratuita, mas é preciso fazer o agendamento on-line pelo portal do Sesc São Paulo. O público pode ainda participar de atividades gratuitas, como cursos e oficinas e bate-papos, todos no ambiente virtual.

Importante destacar que as atividades seguem os protocolos sanitários dos órgãos de saúde pública para evitar o contágio e disseminação da Covid-19. Para manter o distanciamento seguro entre os visitantes, as vagas para sessões são limitadas e variam conforme a unidade.

*Este conteúdo e outros conteúdos especiais podem ser conferidos no hotsite Coronavírus

Fonte: Câmara Municipal de São Paulo

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Bomba Bomba