Notícia

Jornal Brasil

Ciclo de palestras discute redução dos impactos em desastres naturais

Publicado em 28 novembro 2014

Por MCTI

O Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden) encerrou, nesta quinta-feira (27), o ciclo de palestras de 2014, com a apresentação do professor Yosuke Yamashiki, da Universidade de Kyoto (Japão), abordando o tema "Diagnóstico e mitigação de desastres de origem fluvial e sedimentar no Japão".

 

"O objetivo desses seminários é favorecer o intercâmbio de conhecimentos que contribuam para o desenvolvimento de pesquisas sobre desastres naturais, principalmente entre os pesquisadores e tecnologistas recém- ingressos na instituição", avalia coordenador de pesquisa da instituição, José Marengo, em referência aos 54 tecnologistas e pesquisadores que ingressaram no Cemaden neste ano, por meio de concurso público.

 

O ciclo de palestras integra o projeto temático "Vulnerabilidade, impactos e adaptação", realizado em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), e dirigido a pesquisadores e tecnologistas do Cemaden, em São José dos Campos (SP).

 

Japão

 

Membro do Instituto de Prevenção e Redução de Desastres, no Japão, Yosuke Yamashiki, que é engenheiro especializado em deslizamentos e enchentes, desenvolve trabalhos de modelagem de deslizamento de massa, mitigação de desastres e gestão de bacias hidrográficas, em vários países do mundo.

 

Como pesquisador do Centro de Referência em Redução de Desastres, órgão ligado à Organização das Nações Unidas (ONU), ele realizou estudos geológicos na região serrana do Rio de Janeiro, em março de 2011, após os desastres naturais que ocorreram na região em janeiro daquele ano.

 

No mundo todo, Yamashiki desenvolve estudos do cenário de desastres e apresenta soluções que são avaliadas por governos locais, ajudando a desenvolver sistemas de alerta, a fim de prever os riscos de desastres. Atualmente, vem realizando trabalhos de pesquisa na Escola de Altos Estudos Integrados em Sobrevivência Humana, da Universidade de Kyoto e na Universidade de São Paulo.

Fonte: MCTI