Notícia

Terra

Chaminé solar proporciona ventilação de ambientes

Publicado em 09 outubro 2012

Renovar e resfriar o ar que circula no interior de edifícios são as principais funções da chaminé solar. O sistema é capaz de gerar 5,5 renovações do ar a cada hora em ambientes com área aproximada de 12 metros quadrados em condições típicas de verão em São Paulo, sem usar energia elétrica - uma chaminé convencional alcança uma taxa de 3,7.

O modelo foi objeto de pesquisa da arquiteta Letícia Neves e de seu orientador Maurício Roriz. Desenvolvido como tese de doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o projeto foi financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e é pioneiro no Brasil em aplicar a técnica para proporcionar conforto térmico em edificações com diversos andares, inclusive ambientes domésticos.

O incremento de quase 50% na ventilação natural lança o projeto como uma boa estratégia na arquitetura bioclimática, auxiliando na redução da temperatura, na otimização do conforto térmico e na economia de energia. A chaminé funciona com um coletor solar, que possui uma superfície de vidro, uma câmara de ar e uma superfície negra que absorve os raios solares que atravessam o vidro. O mecanismo aquece o ar no interior do canal e, ao mesmo tempo, impede a perda de calor, simulando um efeito estufa. A pesquisadora explica que o ar quente é menos denso e tende a se elevar no interior da chaminé, provocando a sucção do ar do ambiente interno. Por isso, quanto maior é a temperatura do ar na chaminé solar, maior é a ventilação.

Construída no campus da Universidade Federal de São Carlos, a célula de teste experimental inaugura no Brasil a iniciativa de proporcionar a climatização natural por meio de uma chaminé solar. Em outros países, essa aplicação já existe, mas por aqui os únicos fins explorados pela técnica até então eram a secagem de grãos e de madeira.

Viável em edifícios de várias dimensões, a chaminé solar ainda pode ser adaptada para funcionar em conjunto com uma lareira. Assim, no verão, o sistema resfriaria o ambiente, enquanto que no inverno a inversão faria o ar quente próximo à cobertura voltar pelo canal e aquecer o local.

Cartola - Agência de Conteúdo - Especial para o Terra