Notícia

IT Web

CFlex quer levar BI de gestão de ferrovias para os EUA e Leste Europeu

Publicado em 29 maio 2009

ALL (América Latina Logística), Companhia Vale do Rio Doce, Ferrovia Centro-Atlântica e Rio Tinto são algumas das empresas que já adotam no Brasil o CFLEXTRAINS, solução on-line de apoio à tomada de decisões para o planejamento de circulação de trens desenvolvida pela CFlex (www.cflex.com.br).

Único no mundo, o sistema emprega inteligência artificial e vários algoritmos para analisar uma série de informações disponíveis em seu banco de dados, para então fornecer ao planejador/despachador, naquele cenário, dadas aquelas condições, as melhores opções disponíveis para a máxima otimização do negócio nas próximas horas ou dias.

Desde que foi implantado na ALL, a maior operadora logística com base ferroviária na América Latina, há três anos, o CFLEXTRAINS permitiu uma economia de até 17% no tempo reservado às paradas das locomotivas, e sua eficiência operacional se comprovou ainda maior nos trechos caracterizados por uma maior densidade do tráfego.

O CFLEXTRAINS torna possível organizar em detalhes o planejamento da chegada e partida dos trens em terminais de carregamento e descarga. Situações inesperadas também são previstas pela ferramenta com antecedência, o que torna possível a realização dos eventuais remanejamentos necessários, minimizando custos.

Depois de se consolidar no mercado nacional, a CFlex iniciou há cerca de dois anos, mas de maneira tímida, sua expansão rumo ao exterior. “Por suas características inovadoras, confiabilidade e flexibilidade, vislumbramos uma ótima janela de oportunidades para o CFLEXTRAINS além das fronteiras brasileiras. Já temos clientes na Austrália, na Argentina, e contatos promissores no Chile e no México. Acreditamos que o pior da crise financeira mundial já passou e que os investimentos nesse segmento serão retomados em breve. Passamos os últimos meses nos estruturando para absorver novas demandas e elegemos, além da América Latina, os Estados Unidos e o Leste Europeu como principais mercados-alvos”, destaca Luis Elesbão de Oliveira Neto, diretor-executivo e financeiro da CFlex.

De acordo com dados da consultoria Gartner em seu mais atual ranking das dez tecnologias consideradas prioritárias por CIOs em todo o mundo, o BI (Business Intelligence), área de expertise da CFlex, encabeça a lista uma vez mais. Esse é mais um ingrediente que comprova o acerto da empresa em ampliar sua operação internacional.

“Acabamos de nos reunir com um cliente potencial no Chile e temos uma apresentação agendada nos Estados Unidos nas próximas semanas. Nela, destacaremos alguns principais benefícios registrados pelos nossos clientes além, claro, da redução de custos: a capacidade de geração em paralelo de diversas grades horárias resultantes de diversas variáveis (de atrasos no embarque até acidentes); a geração instantânea das possíveis soluções e a possibilidade de antecipação de planejamento com a ampliação do tempo das janelas decisórias”, antecipa Eslebão.

EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO - Fundada em 1996 na incubadora do Projeto SOFTEX 2000 de alta tecnologia instalada na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a CFlex vem registrando, ao longo dos últimos quatro anos, um crescimento anual entre 70% e 100%.

Até 2003, a companhia desenvolvia softwares sob encomenda para outras empresas. Mas, para atuar no segmento de ferrovias esta não era uma opção. O mercado necessitava de um produto pronto e, mais do que isso, diferenciado.

Dessa forma, com o suporte do programa de apoio a projetos inovadores de pequenas empresas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), os engenheiros da empresa dedicaram-se por um ano inteiro ao desenvolvimento do CFLEXTRAINS, que teve como primeiro usuário a Companhia Ferroviária do Nordeste.

No ano passado, o faturamento da companhia, que possui 50 funcionários, atingiu R$ 5 milhões, dos quais 4% foram investidos em pesquisa e desenvolvimento de produtos.