Notícia

Portal da Universidade Federal de São Paulo

Cerimônia celebra 25 anos do Centro Cochrane do Brasil

Publicado em 04 novembro 2021

Centro atua nas áreas de Saúde e de Metodologia Baseada em Evidências e é órgão complementar da Unifesp

Em cerimônia virtual realizada no dia 28/10, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) celebrou os 25 anos do Centro Cochrane do Brasil. O centro, que é órgão complementar da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (ProPGPq) desde novembro de 2020, com o nome de Centro de Gestão do Conhecimento e Desenvolvimento em Metodologias Baseadas em Evidências da Unifesp, atua nas áreas de saúde e de metodologia baseada em evidências, auxiliando docentes, pesquisadores(as) e alunos(as) de graduação e pós-graduação.

O fundador e atual diretor do Centro Cochrane do Brasil, Álvaro Atallah, iniciou a cerimônia agradecendo a todos(as) que fizeram e fazem parte da entidade desde o seu início. “A cerimônia representa um abraço nas pessoas que passaram por todo esse período. Dedicamos um quarto de século para essa causa e fico feliz só de ver nossos amigos aqui presentes. Sempre fomos uma entidade sem fins lucrativos que nunca recebeu dinheiro nem do exterior e nem do interior e sobrevivemos através do trabalho daqueles que produziram pesquisa, em particular, para o Ministério da Saúde, mas recentemente também fizemos consensos baseados em evidências para várias associações médicas, a maior delas, a Sociedade Brasileira de Ortopedia”, explicou.

“São inúmeros os adjetivos que poderia usar para agradecer ao professor Álvaro Atallah pelo brilhante trabalho nesses 25 anos” disse Soraya Smaili, reitora da Unifesp na gestão 2013/2021. Ela lembrou que Centro Cochrane do Brasil surgiu em 1996, quando a Unifesp ainda era uma universidade muito jovem e que o então reitor, Helio Egydio Nogueira, deu apoio à iniciativa, mas que a transformação do Centro em órgão complementar da Unifesp, a partir da PROPGPq, teve início durante sua gestão, com apoio de Valéria Petri, vice-reitora à época e colega de turma de Atallah na Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp). “O professor Álvaro Atallah não só fundou o Centro Cochrane do Brasil, como trouxe o conceito de saúde baseada em evidências para a instituição. No momento em que nosso do país vive, nada é mais importante do que tomarmos decisões baseadas em evidencias”, completou.

Lia Bittencourt, pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa, parabenizou a entidade pelos 25 anos, e lembrou que, ainda como aluna de pós-graduação, assistiu a uma aula de Atallah sobre Medicina Baseada em Evidências e se encantou pelo tema. “Sempre que possível, faço cursos na área, pois é muito importante tomarmos as nossas decisões baseadas em evidências”, completou.

Ramiro Azevedo, diretor do Campus São Paulo, parabenizou o trabalho do centro e se colocou à disposição para dar o apoio necessário. Já Fulvio Scorza, vice-diretor da EPM/Unifesp, disse estar honrado em poder participar de uma cerimônia com muitos dos seus professores ao longo da pós-graduação e elogiou o diretor do Centro Cochrane do Brasil. “Com muita flexibilidade, ética, competência e seriedade, o senhor conseguiu conduzir o centro para que todos pudéssemos nos sentir como parte dele. As revisões sistemáticas nos ajudam muito a tomar decisões e, como órgão complementar, nos ajudará demais a expandir os estudos em outras áreas do conhecimento”.

Luiz Eugenio Mello, diretor-científico da Fundação de Amparo à pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e professor titular da Unifesp relembrou o processo de criação do Centro Cochrane do Brasil. “O Alvaro Atallah falava muito sobre o centro conosco e tentava fazer com que os “infiéis” acreditassem na área. Demorou para construir um consenso, mas ele mostrou que é possível”. No âmbito da Fapesp, Mello observou o grande número de bolsas concedidas a projetos de pesquisa na área, que é absolutamente crítica no desenvolvimento de pesquisas. “Parabenizo o Alvaro Atallah por ter sido líder e pioneiro na área”, completou.

Encerrando a cerimônia, a vice-reitora da Unifesp, Raiane Assumpção, agradeceu a Álvaro Atallah e todas as pessoas que passaram pelo centro ao longo dos 25 anos pelo trabalho realizado. “Hoje comemoramos uma história de 25 anos, reconhecendo o papel visionário e o pioneirismo do professor Alvaro Atallah. O Centro Cochrane do Brasil é um espaço de gestão do conhecimento e desenvolvimento de metodologias baseadas em evidências, ampliando para a concepção de saúde. Como órgão complementar da nossa instituição, ajudará na tomada de decisões de políticas públicas de forma interdisciplinar. A ciência é colocada em xeque frequentemente e ter um espaço como esse é a reafirmação da crença na ciência e no que ela pode reverter à sociedade,” finalizou.