Notícia

Planeta Universitário

Centro "paulista" de operações do LHC é inaugurado no câmpus da Barra Funda

Publicado em 31 março 2010

O Centro Regional de Análise de São Paulo (SPRACE) - grupo de pesquisa multiinstitucional que analisa experimentos de física de partículas ou de altas energias - inaugurou ontem (30/03), no Núcleo de Computação Científica da Unesp, câmpus da Barra Funda, em São Paulo, seu centro de controle de um dos experimentos do LHC (Large Hadron Collider): o Compact Muon Solenoid (CMS). O LHC é o maior acelerador de partículas do mundo e está instalado no CERN (Organização Europeia para Pesquisa Nuclear), com sede em Genebra, na Suíça.

Financiado pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), o SPRACE é formado por especialistas de instituições como a Unesp, Universidade Federal do ABC (UFABC) e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Capaz de monitorar e operar remotamente o experimento, o novo centro de controle - CMS Center @ São Paulo - passou, a partir desta terça-feira, a integrar uma rede composta por 35 centros regionais espalhados pelas Américas, Ásia, Austrália e Europa. A meta do CMS Center @ São Paulo é permitir uma participação direta dos pesquisadores do Estado de São Paulo no experimento, equiparando-os aos demais colaboradores que atuam em diversas outras localidades ao redor do mundo. A implantação facilitará a participação de pesquisadores paulistas nos experimentos de Física de Altas Energias do CERN.

Um CMS Center é um local de trabalho com facilidades que permitem atividades colaborativas, com acesso direto à operação remota do CMS. Trata-se de uma extensão do Centro de Controle do experimento instalado no próprio CERN. Um CMS Center típico é composto por consoles interativos, telas para monitoramento e controle, sistemas de fone e videoconferência de alta qualidade em contato permanente com o CERN, salas de reunião e displays voltados para a divulgação ao público.

O usuário de um Centro de Controle do CMS trabalha tipicamente na calibração dos subdetectores, no monitoramento da qualidade dos dados gerados, e na análise dos dados de física produzidos pelo detector. Ele pode também participar da operação remota dos sistemas de computação do CMS para processamento, armazenamento e distribuição dos dados do experimento.

24 horas

É também o local no qual os plantões remotos são realizados: a operação de diversos centros em partes diferentes do planeta facilitam o monitoramento contínuo, 24 horas por dia. O CMS Center @ São Paulo tem duas estações de controle, conectadas por meio de uma rede de alta velocidade com o CERN. Cada estação controla quatro monitores, dois para acesso interativo e dois para monitoramento em tempo real.

Para atender às necessidades de comunicação, o centro possui um sistema de vídeo conferência que permanecerá conectado ininterruptamente à Sala de Controle Central do CMS na Suíça.

As atividades do CMS poderão ser acompanhadas por uma TV LCD ligada permanentemente ao sistema CMS-TV do CERN, que fornece o status geral do experimento. Há um grande número de aplicativos que auxiliam na operação do experimento e no monitoramento da qualidade dos dados, usados por todos os subsistemas do CMS. Um deles é o CI2I ("see eye to eye"), uma ferramenta que permite que usuários autorizados, em um Centro do CMS em qualquer lugar do mundo, observem os displays de quaisquer outros Centros do CMS.

A ferramenta, desenvolvida no CERN, permite o mapeamento do conteúdo de monitoramento de centenas de displays em diversas localidades distintas e a configuração dos equipamentos dos diversos Centros do CMS espalhados pelo mundo. Um equipamento de vídeo-conferência é conectado a uma tela de LCD e um desktop com dois monitores fornece apoio à vídeo-conferência e à exposição dos "slides" dos palestrantes remotos.

Esse desktop possui interfaces de captura de vídeo, possibilitando a instalação de até duas câmeras de vídeo do tipo PTZ ("pan-tilt-zoom"), controladas por controle remoto, para permitir o uso de sistemas de vídeo-conferência por software. Dois microfones são devidamente posicionados para permitir que o som seja captado de qualquer posição da sala. O equipamento permite também a conexão com a rede telefônica, possibilitando assim a realização de fone-conferência. Um projetor é instalado de forma que a imagem seja projetada na parede oposta à bancada de vídeoconferência.

O CMS Center @ São Paulo foi implantado com o financiamento da Rede Nacional de Física de Altas Energias (RENAFAE), do Ministério da Ciência e Tecnologia.

Unesp Assessoria de Comunicação e Imprensa