Notícia

Jornal de Piracicaba

Centro de Pesquisa renova diretoria

Publicado em 05 maio 2000

Criado em março de 1998, o Centro de Estudos e Pesquisas do Vale do Piracicaba (CEPVP) realiza amanhã um jantar no restaurante Aquarius, quando também haverá a renovação da diretoria da entidade. Nesses dois primeiros anos de existência, o Centro já lançou uma publicação própria, elaborou um projeto de pesquisa e promoveu duas conferências e três seminários. O Centro conta atualmente com cerca de 120 sócios. No jantar-assembléia de amanhã haverá a renovação parcial da diretoria e do conselho técnico-consultivo da entidade. A presidência do Centro de Estudos e Pesquisas continuará a ser exercida pelos próximos dois anos pelo atual presidente, o professor Paulo Kageyama, da ESALQ. O professor Dalcio Caron, do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da ESALQ, ocupava a vice-presidência e passará à diretoria de Projetos, anteriormente coordenada pela professora Sueli Mazzilli, da Unimep. Jefferson Oliveira Goulart, também da Unimep, ocupava a diretoria de Assuntos Institucionais, que passará agora a ser coordenada por José Ferreira Assis, da Cetesb. Goulart passa a ser o novo vice-presidente. TERMELÉTRICA - Uma das tarefas imediatas que está colocada para a nova diretoria do CEPVP é a participação da entidade no Conselho Consultivo proposto pela CPFL para debater e acompanhar o projeto de implantação da usina termelétrica de Carioba, em Americana. PROJETO - O primeiro número do "Caderno de Estudos" traz também um projeto de pesquisa elaborada pelo CEPVP e enviado à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). A agência chegou a aprovar o financiamento ao projeto numa primeira instância, recusando-o depois. O objetivo do projeto, que seria realizado em parceria com as prefeituras de Santa Bárbara d'Oeste e de Rio Claro, era tratar da situação da cultura canavieira e da indústria sucro-alcooleira na região, e ainda do quadro em que se encontram os recursos hídricos na bacia do rio Piracicaba. O projeto pretendia gerar informações que subsidiassem a elaboração e aplicação de políticas públicas voltadas a estas duas questões. As adesões para o jantar custam R$ 15,00 e podem ser obtidas pelo telefone 426-0435 ou pelo e-mail japimalagodi@yahoo.com.