Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Cenapad inaugura máquina que aumentará em 25 vezes sua capacidade computacional

Publicado em 13 outubro 2010

Por Manuel Alves Filho

Uma máquina com capacidade de processamento equivalente à de 5 mil computadores domésticos de última geração interligados foi inaugurada na tarde desta quarta-feira (13) pelo Centro Nacional de Processamento de Alto Desempenho em São Paulo (Cenapad-SP), instalado na Unicamp. O equipamento, que custou US$ 1,35 milhão, foi financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). "Com esse reforço, nossa capacidade computacional será ampliada em 25 vezes", afirmou o coordenador executivo do Cenapad-SP, o físico Edison Zacarias da Silva. Segundo ele, o novo parque computacional está em fase de testes, mas deverá ser colocado à disposição da comunidade científica em até duas semanas.

Além de Zacarias, participaram da solenidade de inauguração do equipamento o reitor Fernando Ferreira Costa; o diretor científico da Fapesp, Carlos Henrique de Brito Cruz; o pró-reitor de Pesquisa da Unicamp, Ronaldo Aloise Pilli; e Antônio Tadeu Azevedo Gomes, secretário executivo do Sistema Nacional de Processamento de Alto Desempenho (Sinapad), órgão do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e ao qual o Cenapad-SP está vinculado. Ao parabenizar a coordenação do Centro pela conquista, Fernando Costa lembrou que se quiser ser competitivo e desenvolver pesquisas comparáveis às realizadas nos grandes centros, o país precisará desse tipo de infraestrutura.

O reitor destacou que os estudos realizados no Cenapad-SP têm crescido ano a ano tanto em quantidade quanto em qualidade. "A experiência conduzida por esse Centro, que tem a característica de ser um espaço multiusuário, tem servido de referência tanto para a Unicamp quanto para o restante do país". O diretor científico da Fapesp também assinalou que para fazer ciência de qualidade é preciso ter bons instrumentos à disposição. De acordo com ele, a Fundação está fazendo investimentos da ordem de U$S 125 milhões para equipar universidades e institutos de pesquisa do Estado. Brito Cruz informou, ainda, que a Fapesp tem interesse em apoiar centros como o Cenapad-SP, que servem a múltiplos segmentos da ciência.

O pró-reitor de Pesquisa da Unicamp elogiou a Fapesp pela "visão estratégica" que demonstrou ao financiar a ampliação do parque computacional do Cenapad-SP. "Isso certamente vai elevar o patamar das pesquisas tanto da Unicamp quanto do Brasil", previu Pilli. O secretário executivo do Sinapad enfatizou que o Cenapad-SP é a unidade mais produtiva do sistema, que conta com outras sete semelhantes espalhadas pelo Brasil. Antônio Tadeu Gomes parabenizou a coordenação do Centro pelos resultados científicos obtidos até aqui, e cumprimentou a Reitoria pelo apoio institucional que sempre deu aos projetos desenvolvidos no local. Conforme Edison Zacarias, a maior parte dos usuários do Cenapad-SP é composto por químicos e físicos, mas biólogos, engenheiros e até pesquisadores da área das ciências humanas recorrem aos seus serviços.

Nos últimos 12 anos, segundo ele, o Centro gerou 1.776 publicações (revistas nacionais e internacionais, livros e anais de congressos) e 201 teses, sendo 107 de mestrado e 94 de doutorado. "Vários estudos importantes são desenvolvidos com o auxílio do nosso parque computacional, inclusive alguns relacionados ao grafeno, material cujos estudos pioneiros rederam o prêmio Nobel de Fisica de 2010 aos cientistas Andre Geim e Konstantin Novoselov". Ainda segundo o coordenador executivo do Cenapad-SP, assim que o programa que testa o novo equipamento for completamente rodado, será possível saber se ele estará incluído entre as 500 mais potentes do mundo. "Por enquanto, isso é apenas uma possibilidade", advertiu. Atualmente, cientistas de 17 estados, além de São Paulo, recorrem ao Cenapad-SP para desenvolver suas pesquisas.