Notícia

OncoNews

Células tumorais circulantes e prognóstico no câncer colorretal metastático

Publicado em 24 janeiro 2020

O oncologista Virgílio Souza (foto), médico do A.C.Camargo Cancer Center, é o primeiro autor de estudo prospectivo que avaliou as células tumorais circulantes (CTCs) como potencial marcador prognóstico no câncer colorretal metastático. O trabalho foi selecionado para apresentação em pôster no ASCO GI 2020.

O câncer colorretal é um dos tumores mais comuns em todo o mundo. Cerca de 30% dos pacientes apresentam doença metastática ao diagnóstico e 50% a 60% desenvolvem metástase. “Novos marcadores prognósticos são extremamente necessários e as células tumorais circulantes têm se mostrado uma ferramenta promissora”, observa Souza.

Nesse estudo, os pesquisadores realizaram duas coletas de sangue (intervalo de dois meses) em 75 pacientes com câncer colorretal metastático (mediana de idade de 57,3 anos; 24-81), juntamente com exames de imagem para avaliação da resposta terapêutica. As células tumorais circulantes foram detectadas pelo ISET e identificadas por imunocitoquímica.

Resultados

Mutações RAS no tumor primário foram encontradas em 38% (19/50) dos pacientes; em 41,3% (31/75) dos participantes os tumores se encontravam no cólon esquerdo. Comparando o nível de CTCs no baseline (CTC1) com o nível no primeiro acompanhamento (CTC 2), pacientes com CTC2 - CTC1> 5,5 por ml demonstraram baixa sobrevida livre de progressão (3,2 meses) quando comparados ao CTC 2 - CTC1 = 5,5 (9,1 meses; p = 0,005).

A mediana de sobrevida global foi de 24,5 meses para pacientes com CTC 1> 1,5 por ml e 34,2 meses para pacientes com CTC1 = 1,5 por ml (HR = 1,89, 95% CI, 1,01 a 3,52; p = 0,041). Pacientes com mutação RAS (P = 0,001), tumor primário no cólon direito (p = 0,014) e expressão da proteína de resistência a múltiplas drogas 1 (MRP-1) em CTCs (p = 0,044) apresentaram pior sobrevida global. Pela análise multivariável, CTC 1> 1,5 / mL (p=0,025) foi um fator prognóstico independente.

“Nosso estudo confirmou que a contagem de CTCs no baseline (CTC1) é um importante marcador prognóstico para monitorar o câncer colorretal metastático e se correlaciona com outros fatores prognósticos estabelecidos”, concluíram os autores.

O estudo foi financiado pela FAPESP (NCT02979470).

Referência: Abstract # 203 – Prospective study with circulating tumor cells as potential prognosis biomarker in metastatic colorectal câncer - Virgilio Souza E Silva, Emne Ali Abdallah, Celso Abdon Lopes de Mello, Milena Shizue Tariki, Vinicius Fernando Calsavara, Ludmilla T.D. Chinen; A.C. Camargo Cancer Center, São Paulo, Brazil; A. C. Camargo Cancer Center, São Paulo, Brazil - Citation: J Clin Oncol 38, 2020 (suppl 4; abstr 203)