Notícia

Terra

Células mães se sacrificam pela sobrevivência de suas filhas

Publicado em 11 março 2013

Estudo publicado na revista Science demonstra que células mães transferem muito mais mitocôndrias do que o necessário para células filhas, mesmo ao custo das próprias vidas, revelando assim que as menores porções de matéria viva – as células – fazem sacrifícios para assegurar a continuidade de suas futuras gerações. A pesquisa foi realizada por um grupo internacional de pesquisadores, com a participação de dois brasileiros. A descoberta sugere a hipótese de que, tal como ocorre com alguns animais na natureza, as células mães se sacrificariam para aumentar as chances de sobrevivência de suas filhas.

Os pesquisadores constataram que durante o processo de divisão celular (mitose) – pelo qual uma célula “mãe” se divide para dar origem a uma célula “filha” – a célula “materna” fornece muito mais mitocôndrias (estruturas internas essenciais para a sobrevivência de qualquer vida celular) para sua “cria” do que se esperaria pela razão entre os volumes delas – a célula filha é menor do que a célula mãe.

“Essa constatação é inédita e contraria a intuição de que as mitocôndrias são divididas de forma proporcional à densidade [volume] das células mães e das células filhas. Elas quebram essa regra”, disse à Agência Fapesp o professor da USP Luciano da Fontoura Costa, um dos autores do estudo, publicado na edição de novembro do ano passado da revista Science.

A descoberta desses mecanismos de divisão poderá ser estendida para outros organismos e tecidos como as células-tronco humanas e algumas células cancerosas, por exemplo, que muitas vezes se dividem em duas células que se parecem e se comportam de forma muito diferente, segundo Costa. O artigo, em inglês, pode ser lido por assinantes no site da revista.

Com informações da Agência FAPESP Terra