Notícia

Energia Hoje

Célula a combustível de glicerol

Publicado em 22 outubro 2010

O Laboratório de Eletroquímica do Instituto de Química de São Carlos da USP está desenvolvendo pesquisas visando à criação de uma célula a combustível de glicerol, a primeira do tipo no país. A expectativa é que as células experimentais, nas quais os pesquisadores já estão trabalhando no laboratório, possam chegar a, pelo menos, 1 kW de potência dentro de cinco anos.

O uso de glicerol como insumo às células a combustível é estratégico, segundo Germano Tremiliosi Filho, coordenador dessa linha de pesquisa do laboratório, por ser resultante do processo de síntese do biodiesel. "Há um excedente de glicerol no país em função disso. E o preço de exportação da substância é muito reduzido, sendo mais vantajoso nos apropriarmos dele para gerar energia elétrica para o país", argumenta.

O cientista espera contar com financiamento da ordem de R$ 2 milhões oriundo de parceria entre a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a mineradora Vale para seu projeto de desenvolvimento dessas células. O resultado do edital será publicado em dezembro deste ano.

Atualmente, o laboratório desenvolve projeto sobre o uso de glicerol e etanol como insumos a células a combustível. Iniciado há um ano, o projeto de R$ 2 milhões deve ser concluído em 2013.