Notícia

Diário Oficial do Estado de São Paulo

Celso Lafer apresenta balanço de atividades da Fapesp em 2014

Publicado em 18 junho 2015

Pesquisas relacionadas à dengue e à água, e a internacionalização da Fapesp, foram enfatizadas

O ex-ministro e embaixador Celso Lafer, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), compareceu à reunião da Comissão de Ciência, Tecnologia e Informação, realizada no plenário Tiradentes, na manhã desta quarta-feira, 17/6.

A reunião, presidida pelo deputado Orlando Bolçone (PSB), teve a participação dos deputados membros da Comissão, Barros Munhoz (PSDB), Carlos Neder (PT), Reinaldo Alguz (PV), Davi Zaia (PPS) e Delegado Olim (PP).  O presidente da Assembleia, Fernando Capez (PSDSB), assistiu à apresentação e, assim como os demais deputados presentes, enalteceu a presença ilustre de Celso Lafer na reunião da comissão.

Lafer, por sua vez, fez questão de registrar a importância da Assembleia Legislativa na criação da Fapesp, bem como a participação do Parlamento na ampliação do percentual de arrecadação de 0,5% para 1% dos impostos estaduais em 1988 e 1989.

Celso Lafer apresentou um balanço das atividades e programas da Fundação no ano de 2014 e lembrou que os recursos são provenientes de percentuais de arrecadação do Estado e, por isso, são flutuantes. “A Fapesp responde às flutuações da atividade econômica, para cima ou para baixo, como é este momento”, disse.

Em 2014, a Fapesp contratou 11.609 projetos de pesquisa e manteve 11.179 bolsas de pesquisa (de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado).

Pesquisa

Apesar da Fundação financiar a pesquisa em todos os campos do conhecimento, sem fazer distinção entre pesquisa básica e pesquisa aplicada, Lafer destacou que o apoio à pesquisa tem recebido nos últimos anos mais da metade dos recursos totais da Fapesp, 52%. “Em 2014, o total de recursos foi de R$1,2 bilhão”, informou.

A área da saúde recebeu 28% do total, com destaque para a Biologia que recebeu 15%. O balanço mostra que entre 1993 e 2015 a Fapesp apoiou 322 projetos de pesquisa referentes ao combate à dengue. Uma vacina contra a dengue está em desenvolvimento no Instituto Butantan e aguarda autorização da Anvisa para iniciar a terceira fase de estudos clínicos, que inclui testes em seres humanos. Além disso, um estudo da Unesp de Rio Claro criou uma substância capaz não só de repelir o mosquito da dengue como matá-lo. Estes foram alguns dos exemplos citados por Lafer sobre a maneira como o trabalho da Fundação influencia diretamente a vida da população.

Assuntos relacionados à água foram responsáveis por cerca de 11 mil estudos financiados pela Fapesp.  Escassez, abastecimento, efeitos de estiagem e sensores que permitem prever inundações iminentes foram alguns dos exemplos de pesquisas realizadas nessa área.

Lafer também enfatizou a internacionalização da Fapesp.  Em oito anos, foram assinados 130 novos acordos de cooperação com universidades, agências de financiamento, institutos de pesquisa e empresas de outros países. “A internacionalização da Fapesp colocou definitivamente o Estado de São Paulo no mapa mundial da ciência e aumentou o impacto da pesquisa produzida em São Paulo.  Como todos sabemos, a ciência só é de fato efetiva quando feita em cooperação com outros países”, afirmou.

DA REDAÇÃO