Notícia

Gestão C&T

Carlos Vogt sugere criação da gramática do Índice Brasileiro de Inovação

Publicado em 28 maio 2007

Por Tatiana Fiuza para o Gestão C&T online

O presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Carlos Vogt, sugeriu, durante cerimônia de lançamento do ranking do Índice Brasileiro de Inovação (IBI), que fosse criada uma gramática sobre o IBI. O evento aconteceu no último dia 24, em São Paulo.
Em entrevista ao Gestão C&T online, Vogt conta que o índice chegou à constituição de uma fórmula, com todas as suas variáveis e pesos. Ao aplicar a fórmula do IBI, é possível chegar a médias que dão as medidas do desempenho das empresas no que se refere ao desenvolvimento científico, tecnológico e inovador.
"Isso requer, portanto, um conjunto de procedimentos que devem ser feitos de acordo com determinadas indicações, ou regras", explica. Para Vogt, essas regras são de combinações que funcionam como regras gramaticais, em que se aplica a linguagem que está ali organizada na fórmula apresentada.
O presidente conta que, depois de analisar a linguagem, é preciso interpretá-la de modo compreensível, ou seja, utilizar a semântica para entender por que tal empresa atuou de determinada forma.
"Proponho a criação de uma gramática do IBI ou de um manual de uso e aplicação, para que seja possível ter uma publicação que tenha todas as referências sintáticas e semânticas de uso gramatical do IBI com a sua forma e sua linguagem", explica.
Vogt considera que essa proposta significa caminhar no sentido de socializar o uso do índice, no entendimento e na sua aplicação. "É uma forma de procurar dar ao IBI condições de universalidade, para que seja usado, entendido, aplicado e para que traga resultados", afirma.
A expectativa do presidente é que a gramática seja lançada em breve. Os detalhes sobre o IBI podem ser conferidos neste link.