Notícia

JC e-mail

Carlos Vogt, novo presidente da Fapesp: 'Todo mundo sabe que não há desenvolvimento tecnológico sem a formação de competência em ciências básicas.'

Publicado em 19 junho 2002

Uma de suas prioridades será manter o equilíbrio dos investimentos em pesquisa básica, bolsas e pesquisa aplicada Herton Escobar escreve para 'O Estado de SP': Se a Fundação de Amparo à Pesquisa de SP (Fapesp) perdeu seu presidente para a reitoria da Unicamp, ganhou em retorno um ex-reitor da mesma academia. O lingüista e poeta Carlos Vogt, reitor da Unicamp entre 90 e 94, foi o escolhido para substituir Carlos Henrique de Brito Cruz na cadeira de presidente da Fapesp. Seu nome foi selecionado com unanimidade pelo Conselho Superior da fundação, do qual fazia parte, e aprovado pelo governador Geraldo Alckmin. 'Quando entrei para o conselho, em setembro de 2001, e a oportunidade de assumir a presidência da instituição surgiu, eu a considerei fortemente', contou Vogt, de 59 anos. Brito Cruz, que dirigiu a Fapesp pelos últimos seis anos, foi eleito reitor da Unicamp em março e deixou a fundação no início do mês. Vogt foi escolhido a partir de uma lista tríplice, formada com o historiador José Jobson de Andrade Arruda e pelo físico Nilson Dias Vieira. A nomeação foi publicada quinta-feira no 'Diário Oficial do Estado de SP'. Ao contrário de situações que já enfrentou em outras instituições, Vogt assume a presidência da Fapesp em condição privilegiada. A fundação acaba de completar 40 anos e passa por uma fase de crescente prestígio nacional e internacional, no comando de alguns dos maiores projetos de pesquisa do país. 'Meu maior desafio será manter o padrão elevado de qualidade e excelência das diretorias passadas', disse Vogt. 'A Fapesp tem problemas como qualquer instituição, mas são problemas de nível muito sofisticado, que exigem uma atuação refinada.' Uma das prioridades, acrescentou, será manter o equilíbrio dos investimentos em pesquisa básica, bolsas e pesquisa aplicada. 'Todo mundo sabe que não há desenvolvimento tecnológico sem a formação de competência em ciências básicas.' Além de professor titular da Unicamp, Vogt é coordenador do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) e vice-presidente da SBPC. Também é editor-chefe da revista 'Ciência e Cultura', da SBPC, e diretor de redação da 'ComCiência', revista eletrônica de jornalismo científico. (O Estado de SP, 19/6)