Notícia

Cruzeiro do Sul online

Câncer de pele

Publicado em 24 agosto 2012

Quando o assunto é a prevenção do câncer de pele, mais importante do que defender o uso de filtro solar é "fotoeducar" pacientes, médicos, indústria farmacêutica, políticos e autoridades de saúde, defende o dermatologista Fernando Stengel, presidente da Fundação Argentina de Câncer de Pele e membro do Conselho Internacional da Skin Cancer Foundation.

"Filtros solares são um produto e são vendáveis. Por isso foram superpromovidos. Agora estamos voltando atrás", disse em entrevista à Agência Fapesp. Stengel afirma que o sol não é mais perigoso hoje do que no passado. "Mas a preocupação com o câncer de pele, no entanto, é maior, pois as pessoas estão mais expostas à radiação solar e a expectativa de vida aumentou", disse.

"Não existe bronzeado seguro", diz especialista.