Notícia

Correio Popular

Campinas é vanguarda, diz ministro

Publicado em 04 julho 2001

Por Adriana Leite - Da Agencia Anhangüera
O ministro da Ciência e Tecnologia, Ronaldo Mota Sardenberg, destacou ontem durante evento no Laboratório Nacional de Luz Sincrotron (LNLS), em Campinas, a importância da cidade como pólo de tecnologia no País. O ministro disse que uma análise sobre a área de tecnologia aponta duas cidades que estão à frente como pólos: São Paulo e Campinas. Para Sardenberg, o Laboratório de Luz Sincrotron é uma "espécie de jóia da coroa", referindo-se ao que existe de melhor no Brasil em conhecimento e tecnologia. O ministro participou do lançamento da Rede de Biologia Estrutural do Estado de São Paulo, cuja base será coordenada pelo Centro de Biologia Molecular Estrutural do LNLS. Na rede vão participar 16 institutos paulistas. Durante o evento foram colocados em operação dois aparelhos de ressonância magnética que ampliam a pesquisa na elucidação da estrutura molecular de proteínas. Também começou a funcionar o novo síncrotron injetor, equipamento que melhora a performance da fonte de luz síncrotron. Houve ainda a posse do novo diretor da Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron (ABTLuS) - que gere o LNLS - o físico José Antônio Brum. Ele substituiu o físico Cylon Gonçalves da Silva, que estava no comando da instituição há 15 anos. "Campinas, além da Unicamp, tem centros de pesquisas e empresas que estão articuladas e vão estar ainda mais com os planos de desenvolvimento que há na região. A expectativa é que este esforço continue e se fortaleça", avaliou Sardenberg. Ele afirmou que o Laboratório Nacional de Luz Sincrotron é uma instituição aberta, onde pesquisadores brasileiros e estrangeiros compartilham conhecimento. REDE O ministro observou que a criação da Rede de Biologia Molecular vai unir pesquisadores de 16 institutos de pesquisa de São Paulo e será relevante para difundir conhecimento na área e gerar pesquisas em diferentes áreas. Os recursos iniciais são de US$ 3,5 milhões, disponibilizados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) vai ampliar a rede estendendo-a para todo País, para isso vai aplicar mais US$ 3,6 milhões. A coordenação da rede será do Centro de Biologia Molecular Estrutural do LNLS, que colocou em operação dois equipamentos de ressonância magnética. Os equipamentos serão responsáveis por auxiliar no estudo da estrutura da proteína, que proporcionará pesquisas que vão beneficiar setores como saúde e agricultura. "Após o estudo do genoma realizado no Brasil o desenvolvimento desta área tomou impulso", disse Sardenberg. INVESTIMENTOS Sobre investimentos em tecnologia para a região, Sardenberg disse que o MCT está reforçando o trabalho realizado pelo laboratório. Ele citou, ainda, os recursos disponibilizados pelo Ministério para a Unicamp. "A Unicamp é a terceira universidade mais beneficiada pelo governo Federal com recursos. O Ministério tem recursos da ordem de R$ 800 milhões este ano e cerca de 10% é enviado para a universidade. "Este volume representa R$ 80 milhões", disse. PROJETOS DE ENERGIA EÓLICA TERÃO R$ 30 MI O ministro de Ciência e Tecnologia, Ronaldo Mota Sardenberg, disse ontem que o Ministério vai abrir uma linha de crédito para 30 universidades que queiram realizar projetos voltados à produção de energia eólica. As instituições deverão pesquisar, produzir e utilizar o produto. O edital com as regras do financiamento será aberto até o final deste mês e serão disponibilizados R$ 30 milhões em verbas provenientes do Fundo de Energia Elétrica para a realização dos projetos. "Esta medida irá de gerar de energia inclusive para assegurar que as pesquisas feitas pelas universidades possam prosseguir sem problemas", informou. Ele completou que o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) vai lançar um programa de estudos em torno do tema energia elétrica e outro para acelerar a certificação dos eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos de maneira geral. De acordo com ele, a certificação servirá para que os consumidores saibam qual é o gasto dos aparelhos com energia. "Estas medidas serão lançadas ainda este mês". Sardenberg revelou que o MCT está lançando também um programa de atração de investimentos de tecnologia de ponta. O objetivo é trazer empresas deste setor para o País. Entretanto, o ministro ressaltou que a intenção é que as firmas desenvolvam a tecnologia no Brasil. "Deve existir uma parceria entre governo, empresas e centros de tecnologia para que os estudos sejam efetuados no País. E não como ocorre hoje quando parte da tecnologia é trazida de outros países", afirmou.