Notícia

Jornal do Commercio (RJ)

Câmera montada em óculos corrige deficiência visual

Publicado em 22 fevereiro 2005

Uma pequena câmera montada sobre óculos e conectada ao nervo óptico pode reparar a visão de milhares de pessoas que sofrem de deterioração da retina. O professor belga Claude Veraart, da Universidade Católica de Louvain-la-Neuve, informou que dois pacientes já receberam o dispositivo.
A câmera envia imagens a um dispositivo eletrônico implantado atrás do olho e estimula o nervo ótico a transmitir a informação ao cérebro. A tecnologia pode beneficiar pessoas com degeneração macular, uma condição que leva à perda da capacidade de distinguir detalhes.
Veraart estima, com base nos equipamentos auditivos conhecidos como implantes cocleares, que a nova tecnologia custará cerca de 20 mil euros (R$ 67 mil). Quinze grupos no mundo inteiro trabalham em tecnologias similares, mas o projeto belga, que coordena o esforço euroupeu envolvendo pesquisadores na França e na Alemanha, parece ter os resultados mais animadores.
A comissária européia da Sociedade da Informação, Vivian Reding, previu que o dispositivo estará à venda entre 2008 e 2010. "Este é um ótimo exemplo de como a tecnologia européia pode liderar em nível mundial", disse a comissária, acrescentando que o custo cairá com o tempo.
A Comissão Européia, que gastará 3,6 bilhões de euros em tecnologias da informação e comunicação no período 2002-2006, destinou 2,79 milhões de euros às pesquisas para tratamento de doenças visuais. O braço executivo da União Européia quer ampliar os investimentos em pesquisa nas 25 nações do bloco para deter a migração de seus principais cientistas para os EUA.
Metodologia para calibrar audiômetros
Ficar parado em uma sala à prova de ruídos ouvindo sons emitidos por caixas acústicas ou fones de ouvido é a rotina de quem passa pelos testes de audiometria, que medem a capacidade de audição de uma pessoa.
Os sons, em variados níveis de volume e intensidade, são gerados por um audiômetro, que precisa ser aferido todos os anos na medida-padrão. Para esse procedimento, o aparelho acaba de ganhar uma nova metodologia, que é mais precisa e funciona por meio de minicâmeras.
A empresa responsável pela inovação é a paulistana Inter-Metro, com o apoio do Programa Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas (Pipe), da FAPESP. Especializada em medições acústicas industriais, a empresa desenvolveu o novo sistema após constatar desvios na calibração dos audiômetros de clínicas, hospitais e consultórios.