Notícia

Jornal Floripa

Câmera com estudo sobre febre maculosa é furtada em Piracicaba

Publicado em 02 junho 2016

Uma estudante de 21 anos teve a filmadora que monitorava capivaras para pesquisa de febre maculosa na lagoa do Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (Ipef) furtada do campus da USP de Piracicaba. A jovem que cursa biologia na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) instalou os equipamentos com cadeados no dia 25 de maio e quando retornou, na quarta-feira (1º), uma deles havia sido levado.

De acordo com o boletim de ocorrência de furto, a jovem é bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e está participando de umprojeto que estuda capivaras, carrapatos e febre maculosa. Para monitorar as capivaras que vivem no  Ipef, localizada no bairro Monte Alegre, ela instalou filmadoras no entorno da lagoa.

Todas as filmadoras foram colocadas com correntes e cadeados. Conforme a Polícia Civil, a estudante retornou na lagoa na quarta-feira, após oito dias e notou que o cadeado de uma das câmeras foi estourado e o equipamento furtado junto com ocartão de memória. Ainda segundo a polícia, a lagoa do Ipef é cercado apenas com arame farpado.