Notícia

Câmara de Vereadores de Piracicaba

Câmara autoriza convênio do município com a USP

Publicado em 15 setembro 2015

Autorizado pela Câmara nesta segunda-feira (14), a celebração de um convênio de cooperação técnica do município com a USP (Universidade de São Paulo) vai permitir que Piracicaba tenha dados detalhados na área de acidentes e outros agravos relacionados ao trabalho.

 

Conforme estabelece o projeto de lei 184/2015, de autoria do Executivo e aprovado na 51ª reunião ordinária, o acordo possibilitará a realização conjunta de atividades técnico-científicas de ensino, pesquisa, extensão e inovação tecnológica no desenvolvimento de sistemas e dispositivos de disponibilização de informações e indicadores epidemiológicos, bem como o desenvolvimento de metodologias de análise, vigilância e prevenção.

 

"É importante esclarecer que a cooperação técnica possibilitará aos pesquisadores da faculdade e aos profissionais do município realizar o acesso às informações sobre morbimortalidade para a construção dos indicadores e séries históricas de acidentalidade, importantes para a saúde do trabalhador, de modo a criar oportunidades e dar prosseguimento a atividades de educação permanente, difusão do conhecimento e troca de experiências entre acadêmicos e profissionais que atuam na área de saúde do trabalhador", ressalta o prefeito Gabriel Ferrato (PSDB) na justificativa do projeto de lei.

 

O chefe do Executivo destaca que o Cerest (Centro de Referência de Saúde do Trabalhador) vem participando formalmente do desenvolvimento de um projeto de pesquisa temático, apoiado pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo), que, aprovado em 2013 e com previsão de término em março de 2018, visa fornecer subsídios para a atuação institucional dos órgãos de vigilância e prevenção de acidentes e outros agravos relacionados ao trabalho.

 

"Sem qualquer custo adicional ao erário municipal, o projeto se tornará mais um instrumento na construção de sistemas de vigilância e prevenção de acidentes e outros agravos à saúde do trabalhador, o que compreende o desenvolvimento de instrumentos de análise e de sistemas de informação com indicadores sobre esses agravos, bem como o desenvolvimento e teste de metodologias de intervenção formativa, de modo a orientar ações estratégicas do serviço de vigilância do município executado através do Cerest", conclui Ferrato.