Notícia

Envolverde

Cães atacam mais crianças

Publicado em 20 abril 2010

Agência FAPESP - Quase metade dos casos de ataques por cães em São Paulo envolvem crianças e adolescentes, segundo levantamento da Secretaria Estadual da Saúde.

Das 341,6 mil notificações de ataques de cães pelos serviços de saúde do Estado no período de 2005 e 2009, 25,3% foram em crianças - 14,8% em crianças de 5 a 9 anos e 10,5% entre de 0 a 4 anos.

Adolescentes de 10 a 19 anos responderam por 17,5% das notificações. Somadas, crianças e adolescentes foram vítimas em 42,8% dos ataques. Idosos vieram em seguida, com 12,7% dos ataques envolvendo pessoas com mais de 60 anos.

Adultos entre 20 e 29 anos responderam por 12,5% dos ataques de cães. As demais ocorrências envolveram pessoas de 30 a 39 anos (11%), entre 40 e 49 anos (11%) e entre 50 e 59 anos (10%).

O levantamento apontou ainda que, do total de agressões registradas, 55% foram contra homens, 34% dos ferimentos foram considerados profundos, contra 6% dilacerantes e 60% superficiais. Houve múltiplos ferimentos em 38% das ocorrências.

A vacina contra a raiva não é mais aplicada na barriga, diferentemente do procedimento em décadas anteriores. São cinco doses no braço do paciente. De acordo com a secretaria, o último caso de raiva humana no Estado de São Paulo foi registrado em 2001.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece a vacina contra a raiva humana gratuitamente em postos de saúde e hospitais públicos. A relação dos endereços pode ser conferida pelo site do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria, no endereço http://www.cve.saude.sp.gov.br/htm/imuni/posto_sorod1.htm.

Mais informações: http://www.saude.sp.gov.br

(Envolverde/Agência Fapesp)