Notícia

Gazeta Mercantil

Caderno Fim de Semana - Notas

Publicado em 22 junho 2001

Lipoproteínas artificiais, desenvolvidas por cientistas da USP em conjunto com médicos do Instituto do Coração (Incor), de São Paulo, poderão ser uma novidade importante para quem sofre de câncer nos próximos anos. A lipoproteína artificial recém-desenvolvida vai servir como um veículo para os medicamentos usados no combate ao câncer. Além disso, com esta associação, a toxicidade poderá ser reduzida. Uma empresa, que reuniu sócios canadenses e norte-americanos, já foi criada para comercializar o invento brasileiro. A patente, em poder do Incor, foi cedida para o grupo da América do Norte e não vendida. O grupo de pesquisa brasileira terá participação no lucro da empresa nomeada de iCell Therapeutics Corp. A nova ferramenta também poderá ser útil para os transplantados cardíacos e portadores de lúpus eritematoso sistêmico.