Notícia

IDEC

Butantã testa vacina contra dengue

Publicado em 03 junho 2008

Em parceria com instituições americanas, instituto de SP planeja produção daqui a dois anos

A explosão recente de casos de dengue no Brasil fez o Instituto Butantã acelerar os ensaios para a primeira vacina mundial contra a doença.

Ontem, o presidente do Butantã, Isaías Raw, garantiu que os testes em humanos da imunização começam no ano que vem e que as doses devem estar prontas para serem aplicadas na população já em 2010.

"A situação nacional nos obriga a correr. Não temos mais como assistir o mosquito Aedes aegypti (transmissor da doença) fazer tantas vítimas", afirmou Raw.

A situação citada pelo pesquisador é referente aos altos números da dengue registrados nos últimos anos. O Brasil fechou 2007 com 559,9 mil casos, o Estado de São Paulo com 82 mil e o município com 2,8 mil, todos os números recordes. No início de 2008, mais uma situação de epidemia foi enfrentada pelo vizinho Rio: 109 mortes confirmadas e quase 150 mil registros, o que mobilizou os pesquisadores do Butantã.

Segundo Raw, até o final desta semana, as reuniões entre o instituto e os parceiros internacionais, Instituto de Saúde Pública dos Estados Unidos (NIH, na sigla em inglês) e Fundação Path, criada pelo empresário Bill Gates, vão definir em quais locais a vacina será testada em humanos. "O cenário ideal é que os ensaios clínicos sejam feitos no Brasil, mas também em outro país que tenha o histórico de dengue. Isso porque por aqui não há circulação do vírus tipo 4, por exemplo, e, além disso, existem outras nações que já possuem um embasamento teórico sobre a dengue, mais avançado do que os dados brasileiros", explicou o presidente do instituto.

Coordenadas

Raw ressalta que, apesar da experiência desde 1984 na produção de vacinas, no Brasil não há estudos científicos abrangentes sobre os períodos mais propícios para a transmissão da dengue, a idade média dos infectados e os locais mais específicos de contaminação. "Como os testes são feitos em voluntários, precisamos ter clareza nas informações teóricas, para que não haja desperdício de quem se candidatar para o teste."

Segundo Ronald Francis, consultor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), que participa dos estudos para a vacina antidengue "made in Brasil", 15 países poderão participar dos testes em humanos. "A dengue é um problema equatorial. Vamos negociar com todos os países que têm interesse nessa nova forma de combate da doença, para fechar as parcerias", afirmou.

Toda a técnica para a produção da imunização será do Instituto Butantã. O otimismo de Raw e Francis decorre do fato de os testes em ratos e macacos já terem registrado 100% de eficácia. "Testamos também, de forma preliminar, em 20 pessoas, todas jovens e moradoras dos Estados Unidos, e os resultados foram positivos: elas produziram anticorpos contra a doença", disse Raw.

Para a primeira fase de testes da nova vacina, serão investidos R$ 20 milhões - com recursos estrangeiros, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

 

NÚMEROS

231 mil casos de dengue foram registrados entre janeiro e abril no País

17 Estados tiveram aumento no número de casos da doença nos primeiros quatro meses deste ano em relação ao mesmo período de 2007

77 mortes por dengue hemorrágica foram registradas até abril deste ano