Notícia

Jornal do Estado (PR) online

Bush diz não à pesquisa com células-tronco embrionárias humanas

Publicado em 23 julho 2006

Agência FAPESP

Não foi surpresa, mas nem por isso deixou de decepcionar a comunidade científica norte-americana. O presidente George W. Bush confirmou as expectativas e vetou um projeto de lei que ampliava o financiamento federal à pesquisa com o uso de células-tronco embrionárias humanas.
Bush não perdeu tempo. Menos de 24 horas após a lei ter sido aprovada pelo Senado - por 63 votos a favor e 37 contra -, o presidente dos Estados Unidos reiterou sua opinião de que a medida "cruzava uma fronteira moral" pela sanção à "destruição de vida humana inocente".
O texto vetado, que era apoiado até mesmo por integrantes do Partido Republicano, o mesmo de Bush, previa que embriões descartados por clínicas de fertilização pudessem ser usados como fonte de células-tronco.
Bush anunciou a decisão no Salão Leste da Casa Branca, rodeado por diversos pais e mães de filhos nascidos após fertilizações in vitro que teriam utilizado o que chamou de "embriões adotados".
O presidente disse que o projeto de lei violava princípios a respeito da "santidade da vida humana" por conta do encorajamento da destruição de embriões não utilizados. Defensores do texto argumentam que tais embriões seriam destruídos de qualquer maneira.
Foi o primeiro veto de Bush a uma legislação aprovada pelo Senado. Representantes do Congresso tentaram derrubar o veto, mas não conseguiram a maioria de dois terços dos representantes que era necessária.