Notícia

Gestão C&T

Brito Cruz diz que faltam cientistas para o Brasil desenvolver inovação tecnológica

Publicado em 17 setembro 2007

O diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Carlos Henrique de Brito Cruz, considera que há uma escassez de cientistas engajados na produção industrial. "Nossa cultura universitária estimula a formação de cientistas para a área de pesquisa dentro das instituições. No entanto, precisamos de mais cientistas trabalhando dentro das indústrias, focados em inovação e desenvolvimento tecnológico, produzindo idéias competitivas", disse em notícia publicada pela Federação das Indústrias do Estado (Fiesp), na semana passada.

Cruz, que ainda preside o Conselho Superior de Competitividade e Tecnologia (Contec) da federação, considera que numa economia saudável, quem faz as patentes é o setor produtivo. "Nos Estados Unidos, 96% das patentes se originam nas empresas, e só 4% nas universidades."

O presidente do Contec participou, no dia 10, do Seminário Agenda de Competitividade para a Indústria Paulista. Segundo informações da Fiesp, Cruz destacou que o Estado concentra o maior número de produções científicas e de registros de patentes da América Latina. Porém, a produção estadual está muito aquém da produção dos países que integram a Organisation for Economic Co-operation and Development (OECD).

Segundo o presidente do Contec, um dos principais problemas refere-se à precariedade do ensino nos níveis fundamental e médio, que não forma jovens aptos a ingressar numa universidade de boa qualidade. "Se hoje fossem triplicadas as vagas no ensino superior, não haveria estudantes suficientes para preenchê-las", declarou.

Informações complementares sobre as ações que a Fiesp desenvolve na área de CT&I podem ser obtidas neste link.