Notícia

Plástico Industrial

Braskem firma convênio com Fapesp para pesquisa com biopolímeros

Publicado em 01 abril 2008

A fim de incentivar as pesquisas científicas e tecnológicas para a obtenção de monômeros e polímeros a partir de matérias-primas renováveis, como açúcares, etanol e biomassa, a Braskem (São Paulo, SP) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) firmaram, em março, um convênio de cooperação. Um dos objetivos do acordo é a diminuição do uso de insumos de origem fóssil nos processos de produção das indústrias petroquímica e de transformação, aumentando a participação de materiais renováveis na cadeia produtiva.

Os projetos financiados no âmbito do convênio serão desenvolvidos em conjunto por pesquisadores ligados a centros de pesquisa e universidades do Estado de São Paulo, que de verão elaborar trabalhos na área de polímeros a partir de matérias-primas renováveis. O acordo prevê investimento total de R$ 50 milhões, divididos igualmente entre a Fapesp e a Braskem, ao longo dos próximos cinco ano.

São dois os temas de interesse de uma chamada pública para a apresentação de projetos de pesquisa. O primeiro deles é voltado a processos de síntese de intermediários, monômeros e polímeros obtidos a partir de açúcares, etanol, biomassa, glicerol e outros subprodutos da cadeia de biocombustíveis. O segundo tema é relacionado a pesquisas na área de materiais que possam atribuir aos "polímeros verdes" características que ampliem suas possibilidades de aplicação.

Com a iniciativa, a Braskem pretende alavancar sua liderança tecnológica na área de "polímeros verdes", em seqüência ao lançamento, no ano passado, do primeiro polietileno certificado mundialmente a partir de etanol de cana-de-açúcar, matéria-prima 100% renovável, cuja planta para produção industrial, que atualmente opera como piloto, terá capacidade de 200 mil t/ano, a partir de 2010.

Já na produção de polipropileno (PP), a Braskem anunciou o início das operações da Petroquímica Paulínia, no interior de São Paulo, que deverá ampliar sua capacidade produtiva do material em 350 mil t/ano. Assim, a empresa passa a liderar a produção de PP na América Latina e torna-se a segunda maior produtora de resinas no continente, ranking no qual a Braskem pretende subir ainda mais após o início da operação de sua unidade de PP na Venezuela, em parceria com a estatal venezuelana Pequiven, prevista para o final de 2010, com capacidade de produção de 450 mil t/ano.

A empresa anunciou, ainda, que finalizou o processo de aquisição de 60% dos ativos petroquímicos do Grupo Ipiranga, iniciado em novembro do ano passado. Os outros 40% foram entregues à Petrobras. Com isso, a Braskem passa a deter 60% da Ipiranga Química e da Ipiranga Petroquímica, alem de 62,7% da Copesul.

Braskem — tel. (11) 3576-9000, www.braskem.com.br

Fapesp — tel. (11) 3838-4000 www.fapesp.br