Notícia

BN - Bahia Notícias

Brasileiros participam de projeto que mapeará resposta imunológica humana contra o Zika

Publicado em 10 maio 2016

Com o objetivo de mapear a resposta imunológica humana contra o vírus Zika, pesquisadores brasileiros, ingleses e norte-americanos se uniram em um projeto que pode ser usado, no futuro, como base para desenvolvimento de uma vacina. No Brasil, o trabalho é apoiado pela  Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e coordenado pelo professor João Santana da Silva, do Departamento de Bioquímica e Imunologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP). A proposta foi selecionada recentemente em uma chamada de propostas de pesquisas lançada em parceria com o Medical Research Council (MRC), do Reino Unido. "Um dos primeiros passos será identificar quais peptídeos virais são reconhecidos pelas células humanas de defesa e induzem uma resposta imunológica. Em seguida, temos de descobrir quais células são ativadas e quais substâncias – citocinas e quimiocinas – são induzidas pelo contato com o material do vírus", contou Santana da Silva à Agência Fapesp. A equipe sediada em Londres ficará responsável pela seleção e o desenho de algumas dezenas de peptídeos presentes no envelope viral que serão usados nos ensaios – entre eles aqueles presentes na proteína NS1, cujo papel é modular a interação entre o Zika e o sistema imunológico humano. Já os ensaios in vitro com células humanas serão conduzidos na FMRP-USP. Para isso, serão usados leucócitos (as células brancas do sangue) isolados do sangue de pessoas que já tiveram Zika e se curaram e também de pacientes que estão na fase aguda da doença.