Notícia

O Petróleo

Brasileiros desenvolvem projeto de aperfeiçoamento do GNL

Publicado em 26 setembro 2019

Por Yuri Anderson

Pesquisadores da Escola Politécnica da USP, que trabalham em um centro financiado pela Shell e pela FAPESP, podem ter encontrado uma solução mais sustentável para um dos grandes problemas da exploração do pré-sal. O projeto, que começou em 2018, tem como objetivo aperfeiçoar a extração e o armazenamento de gás natural de uma maneira segura e a favor do meio ambiente.

A nova tecnologia do projeto permite esse armazenamento de CO2 em cavernas salinas abaixo do leito marinho na região do pré-sal. O gás carbônico seria injetado no local, em sua forma líquida, preenchendo a caverna e expulsando a rocha de sal sob pressão elevada. Essa pressão ajudaria a manter a caverna estável e segura. Depois de totalmente cheia, o local pode ser vedado e o gás estocado para sempre.

Por isso a nova técnica está sendo muito bem vista, já que traz múltiplas vantagens, como por exemplo: a região propícia para armazenamento se encontra no mesmo lugar que a de exploração e produção do gás natural; o Brasil já possui conhecimento para perfuração de poços em regiões mais complexas do pré-sal; o armazenamento do gás permite a extração de maiores quantidades de petróleo, já que eles estão associados no momento da retirada.

A região do pré-sal abriga grande quantidade de petróleo associado com gás natural, por isso, é impossível retirar o óleo sem o gás. Esse gás que vem junto ao petróleo no momento da exploração é rico em dióxido de carbono (CO2), além disso, não é interessante para o consumo e é um dos principais responsáveis pelo efeito estufa.

Atualmente, é feito um processo de separação demorado, caro e perigoso: o gás útil é separado do CO2 dentro dos campos de exploração, sendo assim, o dióxido de carbono é armazenado na região e pode escapar.

Os primeiros testes em laboratório se iniciarão em 2020 e, em 2022, deverá ocorrer, pela primeira vez na história, a perfuração de uma caverna salina sob o leito marinho.