Notícia

Época Negócios online

Brasileiros criam lavadora mais leve, mais econômica e reciclável

Publicado em 15 janeiro 2010

Por Lilian Sobral

O design é futurista e a ideia é inovadora: uma lavadora de roupas pequena, que pode ser transformada em secadora com um acessório acoplado. A forma de construção é menos complexa que a de eletrodomésticos comuns e torna o produto mais leve, econômico e sustentável. Esta é a EVA, um dos conceitos desenvolvidos no Designbras, pequeno estúdio de design movido pelas ideias dos sócios Marcelo Monteiro, 45 anos, e Ricardo Mondella, 37 anos.

Ambos cursaram design de produtos juntos, na Faculdade Armando Álvares Penteado, a Faap, em São Paulo. Ao final da faculdade, em 1998, estavam cheios de ideias e o eletrodoméstico era uma delas. Foi para desenvolvê-lo que os empreendedores montaram a empresa, em 2000, e conseguiram um patrocínio de pouco mais de R$ 200 mil pelo Programa de Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas, da FAPESP. Assim, eles construiram o protótipo da lavadora, que hoje é a maior aposta da dupla para chegar ao mercado.

A máquina concebida pelos designers pode ser acoplada na parede ou funcionar no chão. Após o ciclo de lavagem, é possível adaptar um acessório com uma pequena ventoinha, que injeta ar quente na máquina e a transforma em uma secadora.

A ideia é que a lavadora possa ser presa à paredeSegundo o criador Marcelo Monteiro, a grande inovação do produto é o motor, em forma de anel. Ele é bem menor que o de máquinas comuns e reduz o peso do eletrodoméstico em cerca de 20%. "Como este motor é menos complexo que o de uma lavadora comum, e o restante do material é plástico, ela pode ser quase toda reciclada", diz Monteiro.

Eles conceberam o produto desta maneira para torná-lo uma moeda de troca. "Depois de alguns anos com o produto, se a pessoa quiser adquirir alguma versão mais recente, ela pode usar a máquina antiga como parte do pagamento. As partes dela podem ser recicladas ou o produto pode ser remodelado para versões mais novas", explica Monteiro.

A preocupação com sustentabilidade também está presente em outros aspectos do produto. O protótipo foi desenvolvido para uma capacidade de 3,5 quilos de roupa, usando até 80% menos água que as lavadoras comuns.

A máquina de lavar roupa ainda é só um protótipo, sem previsão para chegar ao mercado. Entre outros projetos, os sócios têm a ideia de um veículo individual elétrico que pode voar e um carro elétrico compacto. "Para o Fly Ego (transporte voador), a limitação é o peso das baterias, que ainda não permitem o voo. Mas a tecnologia está evoluindo e isto logo deve ser resolvido", diz o designer.