Notícia

O Dia (RJ) online

Brasileira diz ter ficado três dias em aeroporto de Madri

Publicado em 20 fevereiro 2008

A brasileira Patrícia Camargo Magalhães, 23 anos, que tentava chegar a Lisboa para um congresso de física, disse que passou três dias no aeroporto de Madri, na Espanha, antes de ser deportada para o Brasil. A informação é do jornal Folha de São Paulo.

Mestranda de física da Universidade de São Paulo, Patrícia viajaria a Lisboa via Madri por uma questão de preço. Suas passagens foram pagas com dinheiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Ao chegar a Madri, às 9h30 de domingo (10 de fevereiro), foi solicitado a ela a reserva no hotel de Lisboa. Patrícia estava sem o documento e foi retirada da fila da imigração. O vôo para Lisboa estava marcado para as 11h do mesmo dia, mas ela só foi liberada três dias depois.

Ela contou ao jornal que foi levada para uma sala em que ficou confinada em companhia de 30 brasileiros, além de venezuelanos e africanos. Patrícia disse que foi obrigada a dormir e alimentar-se no chão, por causa da superlotação.

O argumento para negar a entrada na fronteira, foi a carência de documentação adequada "que justifique o motivo e condições relativas a sua estadia", segundo a carta que Patrícia recebeu com o timbre do Ministério do Interior da Espanha.

"Para mim, o que aconteceu foi uma demonstração de preconceito social e sexual", disse ela, que pretende abrir uma ação contra o governo espanhol por danos morais e materiais.