Notícia

Portogente

Brasil terá supercomputador para previsões climáticas

Publicado em 20 abril 2010

Por Renata Gomes

Até o final deste ano o Brasil terá um supercomputador para auxiliar nas previsões meteorológicas, dando um grande salto nesta área. O anuncio foi feito pelo Ministro da Ciência e Tecnologia durante a 60ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

O equipamento está sendo adquirido pelo Ministério da Ciência e Tecnologia e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) por cerca de R$ 31 milhões e rodará no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Com o supercomputador, o Brasil poderá prever mudanças climáticas com 2 ou 3 dias de antecedência, além de elaborar cenários futuros de impactos e projeções para a América do Sul.

Ainda este ano, a FAPESP irá convidar pesquisadores para formar um grupo de estudo para criar um modelo climático brasileiro, que terá foco no território nacional. Atualmente, existem cinco ou seis modelos climáticos globais de outras regiões do mundo, mas o Brasil pretende também participar destas pesquisas.

O supercomputador ficará a disposição também da Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais, que envolve pesquisadores e cientistas da área, entre institutos e universidades.

Sua capacidade de processamento é de trilhões de operações por segundo, atingindo 244 teraflops. Apenas Rússia, EUA, China e Alemanha possuem hoje processamento mais rápido do que isto.

É necessário que o local onde ficará instalada a máquina tenha 1.000 quilowatts na central elétrica, que deverá ser providenciado já que a rede hoje possui apenas 280.

Com o supercomputador atual as resoluções dos modelos de previsão demoram cerca de 2 dias para processar o espaço de 5 km por 5 km, o que será reduzido para uma hora com a nova aquisição.