Notícia

Notícia na Hora

Brasil sofre com falta de investimento na educação

Publicado em 30 agosto 2016

Um dos problemas que mais preocupam os dirigentes da Fundação Péter Murányi é apontando em levantamento realizado pela ONG Todos pela Educação, que considerou dados fornecidos pela PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) de 2014: o Brasil tem 2,8 milhões de crianças e adolescentes de quatro a 17 anos fora da escola.

“São necessárias alternativas para reverter esse quadro, minimizando os impactos causadas por esse cenário e incentivando uma educação igualitária para todos”, salienta Vera Murányi Kiss, presidente da Fundação Péter Murányi.  A expectativa é que surjam boas propostas através da 16ª edição do Prêmio Péter Murányi, que será sobre educação e está com inscrições abertas até o dia 30 de setembro desse ano.

 

A porcentagem dos alunos fora da escola é distribuída de forma desigual, de acordo com a pesquisa. O maior número de crianças fora da escola está no Norte do Brasil, onde esse número atinge cerca de 92% das crianças e adolescentes, e 17% dos jovens do ensino médio (15 a 17 anos). Essa é a região que apresenta o menor índice de inclusão educacional, quando comparada com o restante do País.

Acentuada em 2015, a crise econômica brasileira contribuiu para que o corte de investimentos fosse ainda maior, de acordo com as prioridades e, infelizmente, o cenário ainda é de recessão. Exemplo disso, foi anúncio feito no último dia 11 de agosto, pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico) que precisou cortar um quinto das bolsas de iniciação científica, que têm o valor mensal de R$ 400, devido ao atual contexto orçamentário, reafirmando a necessidade de se melhorar o ensino público e estimular a ciência, ambos fundamentais ao desenvolvimento nacional.

O Prêmio tem alto reconhecimento na área científica, principalmente entre as universidades federais, mas poucos sabem que empresas também podem se candidatar, desde que tenham desenvolvido um trabalho inovador que beneficie terceiros, como a adequação de processos produtivos. A premiação acontece anualmente alternando as áreas: Alimentação, Educação, Saúde e Desenvolvimento Científico & Tecnológico.

A inscrição é gratuita e deve ser realizada pela instituição ou empresa até 30 de setembro de 2016, por meio de cadastro prévio feito diretamente com a Fundação Péter Murányi. Caso a instituição não esteja credenciada, basta solicitar a inclusão. Os trabalhos inscritos passam pela avaliação de uma Comissão Técnica e Científica e um Júri, para que se possa atingir o objetivo de reconhecer publicamente os pesquisadores.

O Prêmio Péter Murányi conta com o apoio do CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras), SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), Aciesp (Academia de Ciências do Estado de São Paulo), ABC (Academia Brasileira de Ciências), Aconbras (Associação dos Cônsules no Brasil) e CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

 

SERVIÇO:

16ª edição Prêmio Péter Murányi: Educação

Envio dos trabalhos indicados: até 30 de setembro de 2016 (lembrando que a instituição ou empresa precisa estar cadastrada previamente)

Análise pela Comissão Técnica e Júri: Fevereiro de 2017

Cerimônia de entrega: Abril de 2017

Cadastro de instituição/empresa:

adm@fundacaopetermuranyi.org.br

Edital e Regulamento:

www.fundacaopetermuranyi.org.br

 

Sobre a Fundação

Administrada por Vera e Péter Jr, a Fundação Péter Murányi foi criada em 1999 e desde a primeira edição do Prêmio, em 2002, já investiu cerca de R$ 2,2 milhões em reconhecimento de pesquisadores e seus trabalhos. O Prêmio Péter Murányi concede ao vencedor um valor de R$ 200 mil, um certificado e um troféu.