Notícia

Computerworld Brasil online

Brasil pode ganhar fórum para popularização da ciência

Publicado em 18 outubro 2005

Em avaliação da 2ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (C&T), realizada entre 3 e 9 de outubro, o fisico Ildeu de Castro Moreira, que coordenou o evento, sugere a criação de um fórum nacional de popularização da ciência que poderia incorporar a Semana e também produzir ações continuadas ao longo do ano.
O executivo, que também é o diretor da Secretaria de Popularização e Difusão da Ciência e Tecnologia do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), afirma que o impulso inicial de 2004 foi muito importante e que em 2005 será possível atingir mais instituições.
Segundo Moreira, a freqüência no evento foi maior que a do ano passado em Estados do Norte, como Rondônia, Acre, Roraima, e houve também uma integração muito maior entre o sistema escolar, empresas e instituições, que trabalharam suas atividades com maior afinco em todos os locais.
Entre os resultados permanentes, o físico destaca o lançamento neste ano de livros e cartilhas escolares e mapas da ciência, criados ou ampliados em São Paulo, Distrito Federal, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Para ele, isso tudo contribui para a difusão e a integração do sistema nacional de ciência e tecnologia.
Moreira acredita que um dos principais problemas para a popularização da ciência está ligado à estrutura geral do Brasil, que é bastante burocrática e muitas vezes dificulta o repasse de recursos para a realização de atividades. O executivo acredita que é preciso envolver mais a enorme massa de estudantes do ensino fundamental e do ensino médio. "As secretarias de educação dos Estados têm excesso de tarefas e estruturas muito burocratizadas que dificultam a integração com o sistema escolar. Esse é um dos grandes desafios para os próximos anos, inclusive para poder colaborar mais na melhoria do ensino de ciências", aposta.
Nos próximos três meses, a intenção do MCT é realizar uma enquete nacional sobre percepção pública da ciência, em cooperação com o Labjor (Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo, da Universidade Estadual de Campinas) e repetir a cada ano ou a cada dois anos, para podermos acompanhar as alterações dessa percepção e os impactos da Semana. Acredito que a avaliação é muito mais qualitativa. Quando se atinge centenas de milhares de pessoas é possível perceber relatos muito positivos, mas não temos uma avaliação estruturada.
Nos próximos anos, o MCT pretende também aproveitar a realização da Conferência Nacional de C&T, em novembro, para discutir o lado organizacional do evento e outros aspectos da questão da popularização da ciência e tecnologia no Brasil.
Moreira ainda adianta que o tema central da róxima edição do evento será uma homenagem à comemoração dos cem anos do vôo do 14 Bis. "Queremos valorizar atividades nacionais de criatividade, tendo Santos Dumont como símbolo da capacidade nacional de inovar", finaliza.

Agência Fapesp