Notícia

Jornal GGN

Brasil investe mais em pesquisa científica do que na Copa do Mundo

Publicado em 01 julho 2014

Jornal GGN – O investimento do Brasil em ciência pode não ser considerado “padrão Fifa”, como diz o chavão repetido por muitos que foram contra a Copa do Mundo, mas é maior, em números, do que foi de fato investido no mundial de futebol. Um estudo feito pela revista Nature mostrou que, ao menos na América do Sul, o Brasil é o único que investe mais de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) no campo científico.

 

A publicação calculou que o Brasil investe aproximadamente R$ 59,4 bilhões por ano – valor que corresponde ao dobro do que foi feito para sediar a Copa do Mundo de 2014: R$ 25,6 bilhões. A Nature destaca a importância do papel da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

 

“Em 2013, a instituição investiu mais do que qualquer outra nação do continente. Ao todo, foram $ 512 milhões em fundo de ciência”, diz trecho da reportagem. Além disso, o Brasil também se mostra na liderança em número de publicações científicas na América do Sul. Ano passado foram 40.306 publicações, número superior aos 9.337 artigos publicados pela Argentina, segunda colocada.

O valor de 1% do PIB parece muito pouco, mas o líder mundial em investimento em ciência – Israel – investiu, por exemplo, 4,35% de seu PIB, de acordo com dados do Banco Mundial. Apesar de destacar o que classifica como dados importantes, a Nature também chama atenção para a proporção do investimento em relação ao tamanho do país. A título de comparação, o que o país investe corresponderia apenas ao tamanho do Reino Unido.