Notícia

Extra (Rio de Janeiro, RJ)

Brasil investe em Genoma

Publicado em 22 julho 2000

Os progressos no projeto Genoma Humano do Câncer, desenvolvido por cientistas paulistas, levaram o Governo de São Paulo a anunciar ontem um acréscimo de 60%, U$10 milhões, nas verbas para a pesquisa do desvendamento das seqüências de genes humanos de tumores. Os cientistas revelaram o seqüenciamento de 500 mil genes humanos presentes em tumores malignos. Segundo o coordenador do Projeto Genoma Humano do Câncer, Andrew Simpson, as 500 mil seqüências revelam dados que podem ajudar a identificar metade de todos os genes humanos associados à doença. Somente os EUA estão mais avançados do que o Brasil na genômica do câncer. Desde o início do projeto (março de 1999), foram investidos U$ 10 milhões. A meta é dobrar o investimento para fortalecer a área de bioinformática e a segunda etapa do projeto, o Genoma Clínico do Câncer. O projeto é financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e pelo Instituto Ludwig de Pesquisas Sobre o Câncer. Durante o anúncio do acréscimo de verba para projeto, no Palácio dos Bandeirantes, Covas, que venceu um câncer na próstata, disse sentir orgulho pelas descobertas brasileiras. - Essa não é uma conquista de natureza econômica. É uma conquista de natureza humana, que vai tirar as pessoas do sofrimento - assinalou. - Em 20 ou 30 anos, não teremos mais câncer. Os tumores serão prevenidos e não mais tratados - disse o presidente do Hospital do Câncer e do Instituto Ludwig, Ricardo Brentani. Ontem, biólogos da Universidade do Texas inventaram um modo de interferir em regiões precisas do DNA. O método pode ser usado para desativar genes em particular e para adicionar novo material genético a uma área específica de um cromossomo. Em laboratório, os pesquisadores usaram o método para destruir o vírus da Aids e desativar o gene responsável pela proteína que abre as portas das células para o HIV.