Notícia

Olhar Direto

Brasil encerra o ano com 13 mil novos casos

Publicado em 20 dezembro 2005

O Brasil vai fechar 2005 com cerca de 13 mil novos casos de câncer de boca, segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Os homens são a maioria nessa estatística — 9.985 até o fim do ano. Os dados foram discutidos, recentemente, na apresentação da qualificação da tese de doutorado do dentista Arlindo Aburad, na Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP). Ele concluirá, em 2006, a sua pesquisa sobre o câncer de boca.
O dentista, que desenvolve os estudos na disciplina de Patologia Bucal, pretende detectar se o vírus HPV é um dos causadores do câncer de boca — mais comum em homens que fumam e bebem. Países como a Índia e o Sri Lanka, onde homens e mulheres têm o hábito de mascar o fumo, são recordistas deste tipo de câncer. Segundo ele, estudos mostram que a incidência é maior em mulheres que, em algumas regiões dos dois países, têm o hábito de mascar o fumo mais freqüentemente que os homens. Estima-se que no mundo inteiro haverá 400 mil novos casos da doença até o fim de 2005.
No Brasil, geralmente, o câncer de boca é detectado em estágio avançado por que as pessoas ainda não têm o hábito de fazer o auto-exame nem consultar um especialista sobre o assunto. "A doença deve ser diagnosticada no início para que o tratamento seja simples e eficaz. Assim, as chances de cura dos pacientes aumentam", diz Aburad. "Quando detectado em estágio avançado, o câncer de boca pode até ser tratado, mas os pacientes correm o risco de ficar com seqüelas estéticas no rosto e problemas de mastigação", acrescenta.
Os estudos de Aburad são financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), que liberou uma verba de R$ 60 mil para o desenvolvimento da tese de doutorado. Ele pretende fazer estudos sobre o assunto em Mato Grosso.