Notícia

CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Brasil e União Européia iniciam contratações do edital para produção de biocombustíveis de 2ª geração

Publicado em 02 maio 2011

Com o objetivo de incentivar a colaboração científica, tecnológica e de inovação entre grupos de pesquisa brasileiros e da União Européia (UE), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT) lançou, em 2009, Edital para estimular ações de cooperação internacional na área de biocombustíveis de segunda geração. Para oficializar o início dos projetos ocorreu, no dia 28 de abril, cerimônia na Sede do CNPq em Brasília.

Foram submetidas 22 propostas, sendo aprovados os projetos CEPROBIO e PROETHANOL2, que terão duração de dois anos. O investimento do Brasil para a execução dos projetos é de R$ 11,6 milhões, provenientes do CNPq, MCT, FAPESP e FAPERJ. A União Européia vai investir o equivalente a -$ 4 milhões para apoio financeiro aos projetos europeus.

Participaram da solenidade o Diretor de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde (DABS) do CNPq, Paulo Sérgio Lacerda Beirão, Conselheiro da Delegação da União Européia em Brasília, Angel Landabaso, e o Assessor da Diretoria Cientifica da FAPESP, Renato Atílio Jorge, representando as entidades responsáveis pelo apoio financeiro a execução das atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação. Os coordenadores dos projetos, Igor Polikarpov, da Universidade de São Paulo/S.Carlos, e Elba Pinto da Silva Bom, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, bem como membros das duas equipes, técnicos e gestores do CNPq, também prestigiaram a cerimônia, organizada pela Assessoria de Cooperação Internacional do CNPq.

Durante a abertura o diretor da DABS destacou o grande esforço de cooperação Brasil-União Européia nessa área, com o lançamento do edital. Afirmou que se trata de colaboração em que o país se empenha em complementar seus esforços de P,D&I aproveitando a expertise da UE em alguns segmentos, para que todos os parceiros envolvidos ganhem nesse processo. Ponderou ainda que: "apesar desse empenho, ainda há muito que se fazer para se manter no ápice do desenvolvimento tecnológico em energia renovável sustentável".

Já o conselheiro da UE reconheceu o grande esforço empreendido pelas partes, destacando que, além do Brasil, a UE, mantêm este tipo de cooperação apenas com a Rússia e Índia. Mencionou também o caráter especial do perfil de cada ganhador, identificado por sua competência e pelo interesse de complementaridade das ações propostas em parceria com os pesquisadores europeus. "O Brasil apresenta todas as condições para liderar a revolução dos biocombustíveis de 2ª geração e a UE tem o maior interesse em participar como parceira nesse processo, a partir dessas iniciativas e da adoção de políticas para ampliar o uso de biocombustíveis nos seus meios de transportes". Landabaso sugeriu ainda a organização de outro evento do gênero em Bruxelas, em parceria com as equipes européias, durante a realização de evento cultural, prevista para outubro deste ano.

Para Renato Atílio esta parceira internacional é de suma importância para a complementação de recursos, tanto financeiros como humanos, bem como para a geração de conhecimento e formação de massa crítica necessária para assegurar avanços nessa área. Os coordenadores dos projetos afirmaram a vontade de contribuir para formar de recursos humanos em segmentos estratégicos relacionados com petróleo, produção de biomassas e outros setores da energia alternativa renovável.

Na parte da manhã ocorreram palestras sobre aspectos relativos a propriedade intelectual e remessa de material biológico ao exterior por representantes dos setores específicos no CNPq. Durante a tarde os coordenadores se reuniram com suas equipes para discussão de assuntos relacionados à execução dos projetos e estratégias para sua interação com a parte européia O evento possibilitou o esclarecimento de vários aspectos práticos relacionados com a execução pela área técnica do CNPq e permitiu a troca de informação entre as equipes envolvidas nos dois projetos.

Assessoria de Comunicação Social do CNPq

comunicacao@cnpq.br

(61) 3211-9414