Notícia

Organics News Brasil

Brasil é o terceiro maior celeiro de répteis do mundo

Publicado em 24 março 2016

A nova edição do trabalho da Sociedade Brasileira de Herpetologia concluiu que o Brasil possui 773 espécies de répteis, sendo o terceiro país com a maior diversidade do animal, atrás apenas da Austrália e do México. Deste valor, 36 são espécies de tartarugas, cágados e jabutis, seis espécies de jacarés e 731 espécies de Squamata.

Publicado no periódico Zootaxa em 2015, o estudo também encontrou um novo gênero, oRondonops, um réptil de 6,5 cm de comprimento com uma calda, que pode ser até três vezes maior do que o seu corpo, e que se difere das demais pela sua forma, o número de escamas e a sua coloração específica. Nomeado em homenagem ao marechal Cândido Rondon, o gênero possui duas novas espécies de lagartos, a Rondonopsbiscutatus e aR.xanthomystax.

Segundo o pesquisador GuarinoColli, o R.biscutatus“é um bicho fossorial, caracterizado por uma calda longa e bracinhos pequenos, que ficam colados ao corpo. Ele se locomove como uma cobra, quase que nadando entre as folhas caídas, num movimento serpentiforme, já que vivem no meio da mata seca ou alagada”, explicou.

Por outro lado, a R.xanthomystax, encontrada no sudeste do Amazonas, possui dedos mais longo, sugerindo “que tenha hábitos mais arbóreos, do que a Biscutatus”, afirmou o pesquisador Miguel Trefaut Rodrigues.

O pesquisador alerta que a diversidade de répteis brasileiros está ameaçada e apresenta uma situação bastante crítica em relação aos lagartos. “Estamos ainda numa fase muito precária do conhecimento da nossa fauna. Um sinal disso é que, mesmo agora no século 21, ainda é possível descrever novos gêneros. Mas está indo tudo embora. A Mata Atlântica, onde a derrubada é proibida, vai sendo sub-repticiamente detonada. O Cerrado e a Caatinga estão sendo destruídos numa velocidade impressionante”, explicou Rodrigues.

Para ler o artigo na íntegra, acesse:http://biotaxa.org/Zootaxa/article/view/zootaxa.4000.4.1.

** Com informações da Agência da Fapesp