Notícia

Gazeta Mercantil

Brasil discute o jornalismo científico

Publicado em 25 novembro 2002

Por Virgínia Silveira - de São José dos Campos
O Brasil sedia a III Conferência Mundial de Jornalistas Científicos e o 7° Congresso Brasileiro de Jornalismo Científico, que começaram ontem e terminam no próximo dia 27. A primeira e a segunda Conferência foram realizadas em Budapeste, na Hungria, e em Tóquio, no Japão, respectivamente. Aqui o evento acontecerá em São José dos Campos, no campus da Universidade do Vale do Paraíba (Univap). Os dois eventos, organizados pela Associação Brasileira de Jornalismo Científico (ABJC) e pela Univap, devem reunir cerca de 350 jornalistas científicos de 13 países. Na ocasião também será formalizada a criação da Federação Internacional de Jornalismo Científico e discutida a importância do seu papel no processo de sensibilização da sociedade para a área de ciência e tecnologia. Segundo o presidente da ABJC, Ulisses Capozzoli, o objetivo é discutir o significado da ciência para o bem estar social e a importância da democratização do conhecimento científico para a alfabetização científica da sociedade. Os eventos abordarão desde temas relacionados a formação do profissional que atua em jornalismo científico até as formas de divulgação da ciência no Brasil e as políticas e programas de divulgação aplicados no mundo. Na Conferência, serão lançados seis títulos sobre jornalismo científico, dirigidos a estudantes de jornalismo e profissionais envolvidos com cobertura de ciência. Os lançamentos acontecerão durante um sarau científico-literário, a ser realizado hoje, a partir das 20h30. Algumas empresas da região, como a Embraer, e institutos de pesquisa, como o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) é o Ministério da delicia e Tecnologia, farão exposição de projetos e produtos na área de ciência e tecnologia, especialmente do setor aeroespacial.